Ciência

Portugueses distinguidos em concurso europeu

Dois alunos da Escola secundária de Odemira, Inês Marques e Kristoffer de Sá Hog, conquistaram o terceiro lugar na final Europeia para Jovens Cientistas, cuja 22ª edição terminou esta terça-feira, em Lisboa. Os dois estudantes levaram para casa um pr
Versão para impressão
Dois alunos da Escola secundária de Odemira, Inês Marques e Kristoffer de Sá Hog, conquistaram o terceiro lugar na final Europeia para Jovens Cientistas, cuja 22ª edição terminou esta terça-feira, em Lisboa. Os dois estudantes levaram para casa um prémio no valor de 3500 euros pela investigação sobre estruturas geológicas costeiras.

O primeiro lugar na competição foi ex-aequo para participantes da Hungria, Polónia e República Checa e a entrega de prémios decorreu no Pequeno Auditório do CCB. Ao todo foram apresentados, em Lisboa, 85 projetos de investigadores de 39 países.

“Rochas do Sudoeste – os mistérios escritos na pedra”, era o título do projeto de Inês e Kristoffer. Para os dois jovens tudo começou, conforme conta o Diário de Notícias, com uma saída de campo do Clube de Ciências da escola na costa entre a Zambujeira do Mar e o Carvalhal. Aí depararam-se com pequenas esferas de arenito perfeitas e intrigantes pela sua forma peculiar.

Com o apoio da professora que os acompanhava, os dois jovens decidiram pegar no mistério e, ao longo do ano letivo, desenvolveram a sua investigação. Recolheram amostras no terreno, analisaram-nas na escola e acabaram por fazer exames laboratoriais mais finos na Escola Superior Agrária de Beja, que os apoiou nesse trabalho. No final, conseguiram formular duas hipóteses para explicar a origem das estranhas esferas.

“Ou houve uma má distribuição do calcário naquela zona há milhões de anos, ou este calcário era de origem biológica e as esferas cresceram do centro da periferia”, explicaram ao DN, repetindo as conclusões que explicaram ao júri durante a exposição dos trabalhos no Museu da Electricidade.

Inês é agora caloira na Universidade Nova de Lisboa, onde ingressou no curso de Engenharia Geológica, e Kristoffer prosseguirá os estudos na Dinamarca. A investigação não está concluída e os dois recém-unviversitários embora estejam agora separados pela distância irão continuar o trabalho.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close