Espetáculos e Exposições

Português vence prémio nos “Gramys” da África do Sul

NULL
Versão para impressão
O pianista português Luís Magalhães venceu pela segunda vez o prémio “Melhor Álbum de Música Clássica Popular” dos South Africa Music Awards, prémios da África do Sul equiparados aos Grammy dos EUA. O trabalho é uma compilação de sonatas para violoncelo e piano de Beethoven.

O trabalho premiado foi realizado em parceria com o violoncelista Peter Martens e editado pela editora do português e da sua mulher, Nina, a “TwoPianists Records”, avança a agência Lusa.

Luís Magalhães declarou à Lusa que este trabalho foi um grande desafio “porque a obra de Beethoven para violoncelo e piano é muito extensa”.

“Foi um trabalho de quase um ano e meio que fizemos em conjunto com um musicólogo, especialista em Beethoven, para tentar encontrar a verdadeira história por detrás dos tempos e velocidades que o Beethoven gostava que fossem usados em cada obra”, acrescentou o galardoado, que reside em Stellenbosch, perto da Cidade do Cabo.

A par com os galardões e concertos, Luís Magalhães mantém bem viva a sua atividade editando com regularidade através da TwoPianists Records. Desde o início do ano já gravou uma de cinco obras contratadas com a soprano Michelle Breedt, inspiradas em textos de Shakespeare, considerada pelo português como “simplesmente fantástica”.

Magalhães gravou também uma obra com o violinista Frank Stadler, baseada em composições de Janacek, Schuman e Schubert, para além de um disco com jovens músicos que estão a entrar no mercado sob a etiqueta “Debut”.

Em Agosto, a TwoPianists lançará mais uma obra, esta com Konstantin Scherbakov, que a editora contratou através da multinacional Naxos, com quem tem uma parceria a nível internacional, com o título “Me – On Wings of Song”.

Confiante relativamente ao futuro, o músico declarou à Lusa que a sua editora conseguiu “criar uma ligação emocional com o público sul-africano por sermos a única editora de música clássica do país e isto é uma espécie de orgulho nacional numa audiência que é conhecedora do género e não é influenciada pelas tendências mais comerciais da música clássica que existem por exemplo na Europa”.

[Notícia sugerida por Ana Margarida]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close