Ciência

Português vence prémio mundial com espuma anti-fogo

É eficaz em termos de isolamento térmico e acústico e é resistente ao fogo. Uma inovadora "espuma verde" criada por um investigador da Universidade de Aveiro já recebeu um prémio no congresso International Association of Advanced Materials, que decor
Versão para impressão
É eficaz em termos de isolamento térmico e acústico e é resistente ao fogo. Uma inovadora “espuma verde” criada por um aluno da Universidade de Aveiro promete trazer novas soluções na área da construção civil. A inovação mereceu ao investigador um prémio no congresso International Association of Advanced Materials, que decorreu em Março, na Índia.
 
Uma nova espuma foi criada a partir do crude glicerol (um subproduto do biodiesel) e já revelou um bom desempenho em termos de isolamento térmico e acústico e boa resistência ao fogo. A espuma está a ser testada no âmbito da tese de doutoramento de Nuno Gama, para diversas aplicações. 
 
A apresentação de Nuno Gama sobre a resistência desta nova espuma ao fogo, no congresso da International Association of Advanced Materials (IAAM) que decorreu em Deli, na Índia, mereceu ao jovem investigador o “Young Scientist Award”.
 
Nuno Gama estuda espumas de glicerol sem pré-tratamento
A grande inovação de Nuno Gama é a utilização do crude glicerol sem pré-tratamento, o que resultou na patenteação do processo. Já há no mercado aplicações para o glicerol mas em estado purificado e sujeito, portanto, a pré-tratamento com os custos que estão associados a este processo químico.
 
Os ácidos gordos e ésteres metílicos que aparecem associados ao glicerol como subproduto do biodiesel (e que se perdem durante o pré-tratamento), são até favoráveis na homogeneização da estrutura, defende Nuno Gama que desenvolve a tese de doutoramento sob orientação de Artur Ferreira, diretor da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda (ESTGA), e de Ana Margarida Barros, professora do Departamento de Química da UA.
 
Espuma que retarda as chamas
 
A comunicação apresentada na Índia mostra como a adição de grafite expandida ao glicerol não purificado resulta numa espuma que trava a progressão do fogo, ao contrário do que acontece da espuma de poliuretano atualmente usada no isolamento dos edifícios. A adição de grafite expandida cria uma película que dificulta a reação com o oxigénio e a transferência de calor, resultando em menos calor e menor quantidade de fumo libertada.
 
No trabalho realizado para a tese de doutoramento a espuma foi ainda testada em diversas outras vertentes, como por exemplo, quanto à resistência mecânica e dureza e ao comportamento no isolamento acústico. 
 
A este respeito, os resultados apresentados num encontro científico que decorreu na Suécia, em 2015, mostraram um comportamento igual ou melhor aos de materiais existentes no mercado. 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close