Negócios e Empreendorismo

Português promove doces de castanha em Nova Iorque

NULL
Versão para impressão
Um pasteleiro de Bragança que tem apostado na castanha para a confeção de doçaria gourmet foi a Nova Iorque, EUA, dar a provar uma das suas criações: os “ouriços de castanha”, pequenos bolos envolvidos por massa folhada com bicos que simbolizam os picos do invólucro natural do fruto.
 
Eurico Castro, de 38 anos, viajou com a companheira até à cosmopolita cidade norte-americana com a intenção inicial de fazer férias, mas não quis perder a oportunidade de levar os sabores portugueses além-fronteiras.
 
Na bagagem, transportou as caixinhas requintadas nas quais são comercializados os “ouriços” em Portugal e, ao chegar a Nova Iorque, partiu à aventura à procura de castanhas para testar a recetividade às suas confeções 
 
Depois de ter percorrido “dezenas de quilómetros a pé”, como explicou à agência Lusa, conseguiu finalmente encontrá-las no mercado de Chelsea, na Califórnia. A seguir, foi só confecionar o doce, sair para as ruas com a companheira e encontrar quem quisesse experimentar novos paladares.
 
“É o faz-te à vida”, brincou o pasteleiro. Mas aquilo que pensou ser “uma ideia alucinada” acabou por se revelar uma “agradável surpresa”. Cinco pastelarias, entre elas a célebre Swarosky, abriram as portas aos seus “ouriços” e os nova-iorquinos provaram-nos sem qualquer resistência.
 
Empregados e clientes experimentaram os bolinhos, conforme explicou Rosário Bragada, a companheira, mas “não identificaram o sabor”. Na verdade, o mais difícil foi encontrar uma palavra inglesa que permitisse aos destinatários identificar do que se tratava.
 
As reações foram tão positivas que encorajaram mesmo o pasteleiro a pensar na possibilidade de lançar o negócio fora do nosso país. Eurico Castro sonha, assim, seguir as pisadas da exportação, que já introduziu a castanha transmontana em várias partes do mundo.
 
Vários anos de aposta na castanha
 
Eurico Castro começou a apostar na castanha há três anos para responder a um desafio da Câmara de Bragança, que pretendia criar “um novo atrativo” para a feira Norcastanha, que há uma década promove o fruto por ser um dos principais produtos da região.
 
Além dos “ouriços”, o pasteleiro já criou também um bolo-rei de castanha com três variedades diferentes. Custa três vezes mais do que o tradicional mas, mesmo assim, Eurico Castro afirma que no Natal vende “à volta de 500 de cada” variedade. O próximo lançamento gourmet será um salgadinho/crocante de castanha.  
 
Enquanto não cria uma marca própria – objetivo que pretende concretizar em breve sob o nome “Sweet Gourmet by Eurico Castro” – o português comercializa os seus doces numa loja gourmet, num restaurante e numa empresa de catering em Bragança, associadas à empresa mãe, a “Rota dos Sabores”.
 
O próximo desafio está mesmo a chegar: dentro de alguns dias, Eurico Castro vai a França apresentar os seus produtos em Pavillons sous Bois, uma localidade francesa geminada há vários anos com a cidade transmontana.

[Notícia sugerida por Raquel Baêta]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close