Sociedade

Português é um dos ‘idiomas do futuro’ no Reino Unido

A língua portuguesa foi considerada um dos dez idiomas estrangeiros mais importantes para os próximos vinte anos no Reino Unido. Quem o diz é um estudo do instituto British Council divulgado esta quinta-feira pelo Instituto Camões.
Versão para impressão
A língua portuguesa foi considerada um dos dez idiomas estrangeiros mais importantes para os próximos vinte anos no Reino Unido. Quem o diz é um estudo do instituto British Council divulgado esta quinta-feira pelo Instituto Camões da Cooperação e da Língua. 
 
Com base em “fatores económicos, geopolíticos, culturais e educacionais”, o relatório 'Languages for the Future' (Línguas para o Futuro) analisa as prioridades linguísticas no Reino Unido. A seleção de idiomas é feita tendo em conta também as “necessidades das empresas daquele país no que respeita aos seus negócios com o exterior, as prioridades diplomáticas e de segurança e a relevância na Internet”.
 
Em comunicado citado pela Lusa, o Instituto Camões dá a conhecer que esta é a “primeira vez que a língua portuguesa integra esta espécie de pequena lista das línguas consideradas 'vitais', num horizonte temporal de 20 anos”. O estatuto é partilhado com outras nove línguas: o Espanhol, o Árabe, o Francês, o Mandarim, o Alemão, o Italiano, o Russo, o Turco e o Japonês.
 
Os autores do estudo destacaram a utilização do português como língua de trabalho na União Europeia e outros organismos internacionais, como, por exemplo, a Organização dos Estados Ibero-Americanos, a União Africana, a Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral e a União das Nações Sul-Americanas. Além disso, a língua portuguesa ganhou ainda mais peso por se apresentar como o quinto idioma mais utilizado na Internet.
 
“Estudos recentes têm vindo a indicar que a projeção da língua portuguesa se deve principalmente ao número de falantes de língua materna, ao número de países de língua oficial portuguesa, à presença e crescimento na Internet, à cultura, sobretudo ao nível da tradução de originais e, desde há alguns anos, à ciência, devido a um forte crescimento da produção de artigos em revistas científicas”, acrescentou o instituto português.

Notícia sugerida por Elsa Martins e Elsa Fonseca

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close