Negócios e Empreendorismo

“Portugal Sou Eu” quer promover produção nacional

É apresentada, esta quinta-feira, uma nova iniciativa que visa promover a produção nacional. O programa "Portugal Sou Eu" pretende aumentar o consumo, pelos portugueses, de produtos nacionais.
Versão para impressão
É apresentada, esta quinta-feira, uma nova iniciativa que visa promover a produção nacional. O programa “Portugal Sou Eu” pretende aumentar o consumo, pelos portugueses, de produtos nacionais, um aumento que poderá ter impacto positivo a nível do emprego.
 
Em declarações à Lusa, Carlos Oliveira, secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, explica que “se no cabaz de compras de 100 euros de produtos importados passarem a ser comprados cinco euros de produtos 'Portugal Sou Eu', isto poderá ter um impacto, pelo menos, de 700 milhões de euros anuais na balança comercial”. 
 
De acordo com o governante, os estudos do Ministério da Economia apontam também para que por cada 1% do aumento de vendas das empresas com incorporação nacional haja “um impacto directo no curto prazo de 0,2% em termos de emprego e que pode chegar aos 0,7% no longo prazo”.
 
A iniciativa “Portugal Sou Eu”, que será apresentada na Exponor, em Matosinhos, vai, então, incidir sobre três vertentes principais, que vão dos consumidores às empresas, passando pelas entidades públicas.
 
O programa pretende ter, até ao próximo ano, 3.000 produtos certificados. Os produtos habilitados a receber o selo “Portugal Sou Eu” devem ter uma taxa de incorporação nacional igual ou superior a 50%, ainda que haja alguns “critérios de majoração” para produtos que fiquem aquém desse valor, mas que representem “valor acrescentado para o país”.
 
“Acreditamos que, se os consumidores fizerem compras de produtos que tenham maior incorporação nacional, isso permitirá ajudar a manutenção de emprego e o crescimento das nossas empresas no mercado inteiro”, afirma Carlos Oliveira.
 
Para além do potenciamento de estruturas como a Plataforma de Acompanhamento das Relações da Cadeia Alimentar, está também previsto o desenvolvimento de “plataformas de acompanhamento para indústrias representativas” com o objetivo de interligar produtores a distribuidores e, por sua vez, a consumidores.
 
A iniciativa resulta de uma parceria entre o Governo, a Associação Industrial Portuguesa, a Confederação dos Agricultores de Portugal, o Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação e a Associação Empresarial de Portuga, que já tinha lançado o programa “Compro o que é nosso”.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close