Sociedade

Portugal é 15º melhor país para se ser mãe

Portugal posiciona-se no 15º lugar no índice do países melhores para se ser mãe, de acordo com o relatório anual da organização Save The Children. O país desceu um lugar em relação ao ano passado, mas ultrapassa países como a Espanha (16º, antes 12º)
Versão para impressão
Portugal posiciona-se no 15º lugar no índice dos melhores países para se ser mãe, de acordo com o relatório anual da organização Save The Children. O país desceu um lugar em relação ao ano passado, mas ultrapassa países como a Espanha (16º, antes 12º) e a Suíça (18º, antes 14º). A encabeçar a lista está a Noruega e na última posição encontra-se o Níger.
 
Para estabelecer o índice, que engloba 165 países, a organização avalia, a partir de números da ONU, fatores educativos, económicos, de saúde e políticos, como a escolaridade e acesso ao trabalho das mães, a utilização de contracetivos, a mortalidade infantil ou a duração da licença de maternidade.
 
Sobre Portugal, o relatório destaca por exemplo ser um dos países com «as melhores políticas» no que diz respeito ao direito das mães a ver reduzido o horário de trabalho enquanto amamentam, assim como uma taxa de utilização de contracetivos superior a 80 por cento, ao nível de países como a Noruega.
 
De acordo com os dados, Portugal tem um risco de morte materna inferior ao da Noruega – 1/9.800 contra 1/7.600 -, mas uma licença de parto bem mais curta – 16 a 20 semanas contra 34 a 46 semanas – e níveis mais baixos de escolaridade, acesso dos filhos à educação primária ou participação política das mulheres.
 
Comparativamente a Espanha, Portugal apresenta melhores indicadores em aspetos como a utilização de contraceção (80 por cento contra 62 por cento) ou a mortalidade infantil (4/1.000 contra 5/1.000), mas Espanha tem um menor risco de mortalidade materna (1/11.400 contra 1/9.800) e uma maior escolaridade média das mulheres (17 anos contra 16).
 
Os 10 melhores países para ser mãe são a Noruega, Islândia, Suécia, Nova Zelândia, Dinamarca, Finlândia, Austrália, Bélgica, Irlanda e Holanda e Reino Unido, que partilham o décimo lugar.
 
Os últimos da lista são o Níger, o Afeganistão, Iémen, Guiné-Bissau, Mali, Eritreia, Chade, Sudão, Sudão do Sul e República Democrática do Congo.
 
No comunicado à imprensa que acompanha o relatório, a Save The Children apela aos líderes dos países mais ricos, que se reúnem dentro de duas semanas na Cimeira do G8 nos EUA, para que tomem decisões sobre políticas e programas que permitam combater a subnutrição e, dessa forma, garantir a sobrevivência de mães e bebés.
 
O relatório, intitulado State of The World’s Mothers 2012 (Estado das Mães do Mundo 2012), foi divulgado na terça-feira, nos Estados Unidos, que celebram o Dia de Mãe no segundo domingo de Maio.

Consulte o índice completo AQUI.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close