Ciência

Portugal desenvolve protótipo para monitorizar oceanos

Investigadores portugueses estão a desenvolver um protótipo que vai monitorizar os oceanos e estar atento a mudanças na biodiversidade, impactos no clima e outras anomalias ambientais.
Versão para impressão
Investigadores portugueses estão a desenvolver um protótipo que vai monitorizar os oceanos, ajudando a gerir os recursos marinhos, além de prever mudanças na biodiversidade, impactos no clima e outros fenómenos ambientais.

O protótipo vem resolver o problema da viabilidade de estudar várias e diferentes componentes do oceano: vai ser capaz de, em simultâneo, monitorizar componentes físicas, químicas, bioquímicas e biológicas, mas também os diferentes níveis alimentares de microrganismos e mamíferos marinhos.

O resultado é um sistema autónomo multitrófico, capaz de fazer três coisas em simultâneo: monitorização dos oceanos, gestão sustentável de recursos marinhos e redução de riscos ambientais.

“O tipo e a quantidade de informação que o MarinEye vai possibilitar aceder poderá ser uma base para a construção de um sistema de gestão dos recursos marinhos mais eficiente, assegurando assim a proteção deste meio para as gerações presentes e futuras”, explica, em comunicado, Eduardo Silva, coordenador do Centro de Robótica e Sistemas Autónomos do INESC TEC.

Planeta depende dos oceanos

Para Catarina Magalhães, investigadora do CIIMAR e coordenadora do projeto, a importância deste trabalho é vital: “a vida do planeta está dependente dos processos oceânicos, uma vez que são eles que produzem grande parte do oxigénio disponível na Terra, regulam o clima e fornecem vários recursos vivos e não vivos, como alimentos, energia, transporte ou medicamentos”.

“Assim, torna-se imperativo que tenhamos um conhecimento cada vez mais profundo dos nossos oceanos e saibamos como é que os organismos marinhos interagem com o meio entre si, de modo a compreendermos como é que estes processos influenciam a estabilidade global dos oceanos”.

O MarinEye é uma iniciativa conjunta entre o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), que lidera o projeto, o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e o Centro de Ciências do Mar e do Ambiente – Politécnico de Leiria (MARE – IPLeiria).

O projeto termina em 2017 e é um dos programas financiados, em 400 mil euros, pelo programa europeu EEA Grants.

Sistema português vai ser 5-em-1

A plataforma assenta em quatro módulos diferentes: um sistema de multissensores, um sistema de filtração autónomo, um sistema de imagem de alta resolução e, por último, um sistema de acústica.

O sistema de multissensores vai reunir vários sensores diferentes. Terá sensores físico-químicos, para medir parâmetros como a temperatura, salinidade, oxigénio dissolvido e pH, entre outros. E uma plataforma de sensores óticos para medição de dióxido de carbono dissolvido.

A missão do sistema de filtração autónomo será filtrar água já que foi concebido para reter e preservar, no filtro, o DNA dos microrganismos.

Através do sistema de imagem vai ser possível estudar a abundância e biodiversidade do fito e zooplâncton.

Por último, o sistema de acústica vai recolher dados hidroacústicos para gerar informações sobre a presença de mamíferos marinhos ou obter estimativas sobre a abundância de peixes.

O sistema conta ainda com uma plataforma responsável por integrar e analisar, através de um software próprio, todos os dados recolhidos pelos multissensores.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close