Saúde

Portugal cria Roda dos Alimentos Mediterrânica

A Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto acaba de revelar uma nova roda dos alimentos, uma representação gráfica que pretende ser um guia alimentar para promover e valorizar este padrão alimentar junto da população p
Versão para impressão
A Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto acaba de revelar uma nova roda dos alimentos, uma representação gráfica que pretende ser um guia alimentar para promover e valorizar este padrão alimentar junto da população portuguesa.
 
A nova Roda dos Alimentos é da responsabilidade das professoras Sara Rodrigues e Bela Franchini que começaram a trabalhar na sua construção em setembro de 2015, envolvendo a colaboração da Direção-Geral de Saúde e da Direção-Geral do Consumidor, bem como a auscultação da opinião de peritos de diferentes áreas e instituições. 
 
“Seguiu-se um longo processo de diálogo com elementos da área de design, no sentido da concretização de uma representação gráfica atrativa e clara da mensagem a transmitir. O Cartaz da Roda da Alimentação Mediterrânica agora apresentado é o culminar de todo este processo!”, explicam as mentoras da iniciativa no site da Faculdade. 
 
As responsáveis optaram pela forma de roda, em vez da pirâmide, que reflete o prato e o convívio mediterrânico à volta da mesa e não de pirâmide.

A representação privilegia os alimentos mediterrânicos mais ligados a Portugal em cada um dos seguintes grupos: óleos e gorduras (como o azeite e a azeitonas); hortícolas (cebola, alho, couve galega, grelos, tomate, pimentos, beldroegas); fruta (maçã, melão, figo, ameixa, laranja, tangerina, nêspera, romã); cereais, tubérculos, frutos amiláceos (como batata doce, castanha, massa e arroz integrais, flocos de aveia, pão de centeio, broa); carne, pescado e ovos (peixe, em especial sardinha, carapau, cavala, atum); laticínios (queijo e iogurte); leguminosas (todas).

 
O cartaz da Roda Mediterrânica deixa ainda duas mensagens relativas a consumos fortemente associados à alimentação portuguesa – os frutos gordos e o vinho – que são salientados em menções adjacentes aos grupos da Roda, apelando a uma maior ingestão de frutos gordos (amêndoa, noz, pinhão) e, no que respeita ao vinho, reforçando o seu consumo moderado e apenas às refeições, destacando a proibição a crianças, grávidas e aleitantes.
 
Por fim, o Plano Alimentar Mediterrânea elaborado pelas duas portuguesas deixa outras recomendações:
 
– Respeito pela sazonalidade e preferência pela proveniência local dos alimentos
 
– Incentivo à incorporação de ervas aromáticas como veículo de maior sabor em detrimento do abuso do sal de adição
 
– Promoção da utilização e transmissão geracional de técnicas culinárias saudáveis tradicionais, como sopas, ensopados e caldeiradas…
 
– Incentivo ao tempo dedicado à confeção dos alimentos e sua inserção no quotidiano através da partilha com família e amigos  
 
– Combate ao sedentarismo pelo incremento ao tempo dedicado a atividades de lazer

Notícia sugerida por Patrícia Guedes

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close