Negócios e Empreendorismo

Portuense lança negócio de “pequenos favores”

O "Deixa Que eu Vou" promete ajudar a combater a correria do dia-a-dia realizando tarefas como levantar encomendas ou levar o carro à revisão.
Versão para impressão
Em Lisboa há o Moço de Recados que ajuda as pessoas da capital nas pequenas tarefas que por vezes são difíceis de cumprir. Agora, surgiu no Porto um serviço semelhante, o “Deixa Que eu Vou”, que promete ajudar a combater a correria do dia-a-dia realizando serviços como levantar encomendas ou levar o carro à revisão.

por Joana Genésio

Filipe Gomes, de 44 anos, estava desempregado há seis meses quando decidiu criar este projeto que funciona como uma espécie de “assistente pessoal” realizando “pequenos favores” a quem requisitar os seus serviços.

 
De carro, transportes públicos ou bicicleta, Filipe predispõe-se a percorrer a zona do Grande Porto fazendo “aquilo que as pessoas precisarem”, explica o mentor do “Deixa que eu Vou” ao Boas Notícias.

A ideia é oferecer diferentes tipos de serviços, desde “a elaboração de planos de férias ou organização de uma festa, a questões mais burocráticas como a entrega e levantamento de documentos e questões relacionadas com a via verde”, exemplifica.
 

“Até agora, os serviços com mais procura foram o levantamento de prendas que ficaram nas lojas e passar roupa a ferro”, conta Filipe. Embora a maior parte das tarefas seja realizada pelo próprio, desterminados serviços, como tratar da roupa, são adjudicados a profissionais, sendo que neste caso Filipe funciona como intermediário levando e entregando a encomenda.

10 euros pela primeira hora 
 

Relativamente a custos, o empreendedor, que é formado em comunicação social, diz que os valores são variados mas, “normalmente, o cliente paga 10 euros pela primeira hora de serviço, depois depende da tarefa que é preciso realizar”.
 
Apesar de atuar, principalmente, no Porto, Filipe Gomes mostra-se também “disponível para trabalhar noutras zonas”. “Se o cliente precisar de algo que envolva uma viagem Porto-Lisboa, ou Porto-Algarve, por exemplo, é apenas uma questão de acertarmos custos”, afirma. 
 
Em pouco mais de duas semanas, o projeto já ajudou “cerca de dez pessoas”. Filipe salienta que a “ideia é criar um meio de subsistência” para si mas gostava também de “dar origem a uma rede com outras pessoas que já colaboram no projeto realizando algumas tarefas”.

Para contratar os serviços do “Deixa Que Eu Vou” basta aceder à página do Facebook, onde estão disponíveis os contactos de Filipe Gomes.

Clique AQUI para visitar a página do Facebook. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close