Fitness & Bem-estar

Porto é "inebriante", elogia a National Geographic

Embora mais conhecido pelo seu vinho, o Porto é, por si só, um "destino inebriante". O elogio é da revista britânica National Geographic, que, recentemente, dedicou um artigo à "emergente" cidade Invicta.
Versão para impressão
Embora mais conhecido pelo seu vinho, o Porto é, por si só, um “destino inebriante”. O elogio é da revista britânica National Geographic, que, recentemente, dedicou um artigo à “emergente” cidade Invicta, que tem contrariado a crise económica com a oferta de novas diversões aliada à preservação do seu “velho charme”.
 
Gavin Haines, jornalista que assina a crónica publicada, em meados de Maio, na National Geographic, diz ter conhecido o Porto pela primeira vez em 2003, quando as grandes cidades europeias, com os seus preços proibitivos, ameaçavam deixá-lo “com pouco mais do que um bilhete de Inter-Rail” e a sua mochila às costas.
 
“O Porto, uma cidade adorável e generosa, cuidou de mim. Colocou-me um telhado sobre a cabeça, comida na barriga e música nos ouvidos pelo preço de um café e de um bolo em Paris. Em suma, vendeu-me o fascínio e a sofisticação da Europa Ocidental aos preços da Europa de Leste”, recorda Haines.
 
Desde então, afirma o cronista, o Porto passou por tempos difíceis devido à crise económica e à ascensão do desemprego, “mas, impulsionada pelo turismo, a cidade, em especial a zona da Baixa, tem vindo a transformar-se nos últimos anos”.
 
“As novas rotas das companhias 'low-cost' e um novo terminal de cruzeiros tornaram mais fácil do que nunca visitar a segunda maior cidade portuguesa que, sinceramente, é um dos mais agradáveis locais de todo o Continente europeu para passar um fim-de-semana”, garante Haines.
 
O jornalista da National Geographic destaca a “nova vida” da Invicta, que se movimenta, em especial nas ruas Galeria de Paris, Cândido dos Reis e Conde de Vizela, que costumavam ser reduto de “prostitutas e viciados” e, agora, “estão cheias de bares, restaurantes e lojas”.
 
Mas não só ao centro do Porto se estende o amor de Haines: o cronista é, também, um apreciador dos subúrbios – de Gaia a Matosinhos e à Foz -, “que é preciso visitar para entrar, verdadeiramente, sob a pele da cidade”.

Da Livraria Lello às francesinhas
 

Também para os amantes das compras a Invicta é uma boa escolha. “No Porto não faltam comerciantes independentes, o que torna a cidade uma alegria para os compradores”, que ali podem encontrar tudo, desde 'souvenirs' artesanais a vinhos do Porto 'vintage' e queijos locais, frisa Haines. 
 
Entre as recomendações está, claro, a incontornável Livraria Lello, “provavelmente a loja mais famosa do Porto”, que inspirou JK Rolling, autora da saga de livros britânica 'Harry Potter'. “[Entrar na livraria] é como entrar dentro de uma fantasia”, descreve o jornalista da National Geographic.
 
“Quem estiver pela cidade aos Sábados não deve perder a legendária Feira da Vandoma, que tem crescido desde os anos 70” e que oferece “livros, antiguidades, roupa e vinis em segunda mão”, recomenda ainda. Para levar para casa os sabores locais – vinhos, compotas e charcutaria -, o ideal é passar pelo “contemporâneo Mercado do Bom Sucesso”.
 
Ao final da tarde, vale a pena apreciar “a vista icónica do rio Douro e da Ponte Dom Luís I” num dos bares da Ribeira. “A noite do Porto acontece, porém, em redor dos 'pubs', clubes e bares da Baixa”, “onde o 'gin está cada vez mais em voga”, escreve Gavin Haines. 
 
À mesa não pode faltar a francesinha, “prato de assinatura do Porto” e que, apesar de ter calorias suficientes para fazer tremer quem está de dieta, é “a materialização gastronómica de um prazer culpado”, assegura o cronista, que explica que as iguarias tradicionais portuguesas – como o bacalhau – e o marisco são outras boas opções.
 
“Esteticamente, a francesinha inspira pouca confiança no panorama culinário do Porto, mas as aparências iludem: a cidade é uma alegria para os viajantes 'gourmet', com a sua seleção de cafés e pastelarias que vendem 'croissants' acabados de cozer e onde se empilham os pastéis de nata”, a escolha ideal para a sobremesa e “aquilo de que são feitos os sonhos”.
 
Clique AQUI para aceder ao artigo sobre o Porto publicado na National Geographic (em inglês).

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close