i9magazine

Porto de Roterdão adota tecnologia IoT da IBM

Versão para impressão

A Autoridade do Porto de Roterdão e a IBM anunciam hoje uma parceria estratégica a longo prazo, com base num modelo de digitalização, para transformar o ambiente operacional daquele que é o maior porto da Europa, tirando partido das tecnologias de Internet of Things (IoT) na cloud, para benefício do porto e de quem nele trabalha.

A iniciativa prevê ainda capacitar os 42 quilómetros de área total do porto para, no futuro, receber navios conectados. O projeto terá início com o desenvolvimento de um dashboard de aplicações centralizado que irá recolher e processar informação de sensores em tempo real sobre marés, dados meteorológicos e de comunicação, que depois serão analisados ​​pelas tecnologias IoT da IBM. Este processo originará toda uma nova forma de gestão de tráfego mais segura e eficiente.

“Queremos tornar-nos no porto mais inteligente do mundo”, sublinhou Paul Smits, diretor financeiro da Autoridade do Porto de Roterdão. “A rapidez de resposta e a eficiência são essenciais para o nosso negócio e obriga-nos a usar todos os dados disponíveis. Graças à informação em tempo real sobre a infraestrutura, o estado das marés, clima etc., podemos melhorar efetivamente o serviço que prestamos a todos os que usam o porto e estar preparados para o transporte autónomo e conectado do futuro”.

Sendo o maior da Europa, o Porto de Roterdão administra mais de 461 milhões de toneladas de carga e mais de 140 mil embarcações anualmente. Anteriormente, o porto dependia da comunicação tradicional de rádio e radar entre capitães, pilotos, operadores de terminais e rebocadores para tomar decisões importantes nas operações portuárias. Agora, à medida que o Porto de Roterdão começa a sua transformação digital, estão a ser instalados sensores ao longo dos 42 quilómetros de terra e mar – da cidade de Roterdão ao Mar do Norte – ao longo das paredes do cais, postos de amarração e estradas. Esses sensores recolherão vários fluxos de dados sobre marés e correntes, temperatura, velocidade e direção do vento, níveis de água, disponibilidade e visibilidade da zona.

Esses dados serão analisados ​​pelas soluções IoT baseadas na cloud da IBM e transformados em informações que o Porto de Roterdão vai poder usar para tomar decisões que reduzam os tempos de espera, determinem o tempo ideal para os navios atracarem, carregarem e descarregarem, permitindo receber mais navios tendo em conta o espaço disponível.

Com esta colaboração, as empresas de transporte marítimo e o porto podem ser mais eficientes, economizando até uma hora a atracar, com poupanças que podem ascender aos 80 mil dólares.

Mais informações no Think Blog da IBM

O conteúdo Porto de Roterdão adota tecnologia IoT da IBM aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close