Saúde

Podologia: Rastreios gratuitos na cidade do Porto

Com o objetivo de promover a saúde dos pés, a Associação Portuguesa de Podologia (APP) vai realizar, a 22 de Setembro, entre as 10h e as 18h, no Parque da Cidade do Porto (junto ao Pavilhão da Água), rastreios gratuitos à população.
Versão para impressão

Com o objetivo de promover a saúde dos pés, a Associação Portuguesa de Podologia (APP) vai realizar, a 22 de Setembro, no Parque da Cidade do Porto (junto ao Pavilhão da Água), rastreios gratuitos à população. Entre as 10h e as 18h, uma equipa de especialistas vai realizar exames, dar conselhos úteis e responder a dúvidas relacionadas com os pés.

O objetivo desta iniciativa, passa por ajudar as pessoas a cuidarem da saúde dos pés e a tomarem consciência da sua importância. O rastreio podológico contempla a realização de avaliação clínica e estudos biomecânicos computorizados, que permitem avaliar a presença de algumas patologias ou fatores predisponentes da patologia do pé.

Demasiado tempo de pé, calçado inadequado e alterações de postura e de apoio plantar podem ser a origem de patologias limitativas – como lombalgias, ciatalgias, gonartroses, tendinopatias, fasceites plantares, esporões do calcâneo, joanetes ou dedos em garra – que podem ser prevenidas com um correto desempenho do pé e do aparelho locomotor.

Manuel Azevedo Portela, presidente da APP, explica, em comunicado de imprensa, a importância deste tipo de ações afirmando que, “apesar de nem sempre lhes darmos valor, a verdade é que os pés são a base de apoio, de equilíbrio e de funcionamento de todo o corpo humano”.

“No entanto, as estatísticas indicam que 80% da população adulta não tem este fator em consideração, acabando por sofrer de algum tipo de problema podológico”, acrescenta.

De acordo com a associação, os Portugueses não estão sensibilizados para a importância das doenças dos pés, e por isso não os tratam devidamente. Neste sentido, os rastreios são uma excelente oportunidade para prevenir e alertar a população para a preponderância da saúde dos pés.

“A patologia do pé é altamente limitativa, estimando-se que possa atingir cerca de 50% da população ativa”, acrescenta ainda Manuel Portela, alertando que “algumas destas patologias podem ser prevenidas, diminuindo-se assim a incapacidade de trabalho e as despesas com a segurança social”.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close