Inovação e Tecnologia

Pessoas imobilizadas poderão escrever com os olhos

Escrever com os olhos pode parecer algo impossível mas, graças ao trabalho de um grupo de investigadores franceses, deixou de o ser. A equipa desenvolveu um sistema de utilização dos movimentos dos olhos para escrever num ecrã.
Versão para impressão
Escrever com os olhos pode parecer algo impossível mas, graças ao trabalho de um grupo de investigadores franceses, deixou de o ser. A equipa da Universidade Pierre et Marie Curie de Paris desenvolveu um sistema de treino e aprendizagem que permitiu aos próprios cientistas utilizar os movimentos musculares dos olhos para escrever num ecrã de computador e, dessa forma, poder comunicar.
 
De acordo com os especialistas, que publicaram os resultados do seu estudo na revista Current Biology, o sistema em causa não se baseia no implante de um “chip” ou um dispositivo semelhante no cérebro. 
 
Jean Lorenceau, coordenador da equipa, explicou que se trata apenas de um processo de aprendizagem simples de uma série de “truques” para que o mecanismo neuromuscular dos olhos faça algo que não costuma ser possível: “produzir voluntariamente movimentos oculares suaves em direções arbitrárias”. 
 
O sistema desenvolvido, que, por enquanto, é apenas um protótipo, disponibiliza à pessoa uma página em branco sob a forma de um ecrã de computador sobre a qual pode escrever com fluidez, desenhar ou assinar com o movimento dos olhos.
 
Para tornar possível esse tipo de ação é utilizado um aparelho já conhecido que grava os movimentos oculares através de uma câmara e que também é usado por outro tipo de dispositivos de escrita com os olhos que, ao contrário deste, não permitem, no entanto, ações que vão além da seleção de letras ou palavras no ecrã. 
 
Estas limitações devem-se ao facto de o olho humano não ser capaz de fazer movimentos suaves e regulares sobre um fundo estático, o que impossibilita a reprodução de letras ou desenhos.

Sistema pode ajudar pessoas com deficiência
 

No entanto, Lorenceau e a sua equipa utilizaram um truque, a chamada ilusão de ótica “reverse-phi”, descoberta pelo norte-americano Stuart Anstis em 1970. Tal ilusão oferece aos olhos “uma espécie de apoio móvel” que os ajuda a fazer movimentos regulares bastando, para isso, duas a quatro sessões de treino.
 
Após este processo de aprendizagem, as pessoas tornam-se facilmente capazes de controlar os movimentos dos seus olhos e, assim, escrever letras e figuras no ecrã. 
 
Em declarações à AFP, o cientista francês, especialista em neurociência cognitiva que trabalha sobretudo com pacientes que sofrem de esclerose lateral amiotrófica, referiu que a inovação poderá “devolver a criatividade a pessoas com deficiências severas”.
 
Além disso, o sistema tem também outras possíveis aplicações profissionais, tendo potencial para ser usado, por exemplo, por tenistas, pilotos ou bailarinos, para quem a precisão do movimento dos olhos é importante. 
 
Porém, Jean Lorenceau, que trabalha no Centro de Investigação do Instituto do Cérebro e da Espinal Medula, parte do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) francês, salientou que “para já, tudo são especulações, uma vez que o processo está ainda no início”.

Clique AQUI para aceder ao artigo publicado na Current Biology (em inglês).

[Notícia sugerida por Diana Rodrigues e Patrícia Guedes]

 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close