Cultura

Pastel de feijão próximo da certificação gastronómica

O pastel de feijão, tradicionalmente confecionado no concelho de Torres Vedras, está prestes a conseguir a certificação geográfica de produto artesanal. O processo encontra-se prestes a ser concluído pela Câmara Municipal e pelos fabricantes deste do
Versão para impressão
O pastel de feijão, tradicionalmente confecionado no concelho de Torres Vedras, está prestes a conseguir a certificação geográfica de produto artesanal. O processo encontra-se prestes a ser concluído pela Câmara Municipal e pelos fabricantes deste doce que lhe querem conferir ainda mais qualidade e uma maior capacidade exportadora.
 
Ana Umbelino, vereadora da Cultura daquele município garantiu à Lusa que o dossiê de certificação “está finalizado” e “a ser apreciado por consultores” para, depois, ser enviado para aprovação do Ministério da Agricultura e da Comissão Europeia. 
 
“Estamos a proteger um património, uma marca”, refere a autarca, para quem a certificação vem trazer mais qualidade ao produto e aumentar as exigências aos produtores na sua confeção. Como tal, haverá uma “maior promoção” ao pastel de feijão e “mais benefícios económicos” para aqueles que os fabricam, que vão poder apostar mais na exportação deste produto artesanal, à semelhança do que acontece com o pastel de nata. 
 
Maria Perpétua Lourenço, gerente da fábrica 'Brasão' conta que há experiências na remessa de caixas de pastéis de feijão para o estrangeiro com bons resultados. “São-nos feitas encomendas através da Internet e já temos, inclusive, enviado caixas para particulares”, relata.
 
Ainda assim, diz-se consciente de que a empresa ainda não definiu uma estratégia de internacionalização do produto e que, até agora, os pastéis de feijão só têm chegado a lojas em em Madrid, Barcelona (Espanha) e Luanda (Angola) “à boleia dos ovos-moles de Aveiro”, já com certificação.
 
No concelho, existem 30 fabricantes responsáveis pela produção de 660 mil pastéis de feijão todos os anos e por receitas que rondam o meio milhão de euros à economia local. Vinte desses produtores fazem parte do processo de certificação.
 
“Queremos credibilizar o nosso pastel de feijão e divulgá-lo mais”, diz Mário Reis, presidente da Associação Comercial e Industrial do Oeste. Este mês, os produtores viram também, publicada em Diário da República, a marca registada do “pastel de feijão de Torres Vedras”.
 
Para reforçar a promoção deste produto, a câmara municipal organiza, desde há três anos, o Festival do Pastel de Feijão com iniciativas como concursos entre fabricantes, provas de degustação e ações de formação para aprender a confecionar o doce.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close