Saúde

Participe num programa online de monitorização da gripe

NULL
Versão para impressão
O Gripenet é um portal português que procede à monitorização da gripe na internet. O projeto nasceu em 2005 e desde então dedica-se à recolha de dados sobre a gripe com base na participação voluntária dos cidadãos que, para participar, só têm de se registar no site e responder a questionários semanais. A Gripenet começa a recolher dados em Novembro apelando à participação de todos.

O site da Gripenet está aberto todo o ano, mas os dados são recolhidos entre Novembro e Maio, o período de maior atividade do vírus. Durante o resto do tempo, o portal fornece informação sobre a doença e os resultados da monitorização, apresentados em curvas de incidência e bases de dados.

A ideia nasceu na Holanda e rapidamente se tornou “um caso de sucesso de comunicação de ciência e de promoção da saúde”, lê-se no site. Em Portugal, o projeto chamou a atenção do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) que criou o portal dois anos depois. Como depende unicamente de voluntários, o Gripenet encontra-se e promover uma campanha de sensibilização da população para participar.

Se quiser fazê-lo basta que tenha residência no território nacional e possua um endereço de correio eletrónico. Depois, é seguir os passos no site e ir respondendo a um questionário semanal sobre os sintomas gripais (ou ausência deles) durante essa semana.

“A recolha de dados tem por objetivo monitorizar, em tempo real, a evolução da epidemia”, explica o site, que é o maior repositório de conteúdos online em língua portuguesa sobre a gripe.

Gripenet tem o apoio do Instituto Dr. Ricardo Jorge

Esta não é a única entidade nacional a proceder a este controlo. O Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge faz o mesmo, por outros meios, sendo, aliás, colaborador do Gripenet, tal como a Direção Geral de Saúde. Os dados recolhidos são analisados por investigadores do IGC.

“Devido às suas características, o sistema Gripenet possibilita uma deteção precoce de eventuais anomalias, e uma captação de pessoas que recuperam da gripe sem recorrer aos serviços de saúde, com uma assinalável economia de recursos. Características potencialmente úteis em caso de uma eventual pandemia”, lê-se no site.

O projeto foi distinguido, em 2009, pela Agência para a Modernização Administrativa, como um exemplo de “Boas Práticas” de serviço ao cidadão e está incluído na Rede Comum de Conhecimento.

[Notícia sugerida por Ana Guerreiro Pereira] 

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close