Mundo

Parecem fotografias mas são desenhos feitos a lápis

À primeira vista parecem fotografias digitais a preto e branco, mas um olhar mais atento mostra-nos que não. São, sim, desenhos a lápis de carvão da autoria de um jovem britânico que está a fazer furor no Reino Unido graças ao seu talento.
Versão para impressão
À primeira vista parecem fotografias digitais a preto e branco, mas um olhar mais atento mostra-nos que não. São, sim, desenhos a lápis de carvão da autoria de um jovem britânico que está a fazer furor no Reino Unido graças ao seu talento fora do vulgar que utiliza para transpor para o papel a essência de personalidades célebres como os músicos James Morrison e Beyoncé ou Madre Teresa de Calcutá.
 
Kelvin Okafor, de 27 anos, licenciou-se em artes na Universidade de Middlesex, em Inglaterra, e está a conquistar cada vez mais prestígio no país depois das suas exposições em várias galerias de arte e dos diversos prémios que tem somado. 
 
De acordo com o Daily Mail, cada uma das suas peças – criadas, integralmente, a preto e branco com lápis de carvão e grafite, lápis de cor preta e, por vezes, lápis pastéis cinzentos – demora entre 80 a 100 horas a completar, o que corresponde a, aproximadamente, três semanas no seu estúdio.
 
“O meu desejo é criar uma arte que seja tão vivída como aquilo que os nossos olhos veem”, explica Okafor no seu blog, onde dá a conhecer as obras que vai desenhando e a sua evolução passo a passo até se obter o produto final. Antes de começar, passa alguns dias a analisar a fotografia que vai reproduzir, concentrando-se, sobretudo, nos olhos do sujeito.


Desenhos de Madre Teresa de Calcutá (à esquerda) e da cantora inglesa Adele (à direita), ambos ainda por concluir à data das fotografias
 

No entender do jovem, natural de Tottenham e que admite ser “apaixonado pela precisão”, o lápis é “um instrumento humilde”, mas isso faz parte do seu 'charme'. “Os lápis encantam-me porque, com apenas um, é possível criar tantos tons e texturas e até criar, quase, a ilusão da cor”, conta, citado pelo jornal inglês.
 
As peças desenhadas por Okafor estão a ser vendidas por valores que variam entre as 8.000 (9.316 euros) e as 10.000 libras (11.648 euros), consoante o tamanho. “A atenção que estou a receber é surreal”, confessa. 
 
“Habitualmente estou resguardado [dessa atenção] no meu estúdio mas sinto-me muito honrado pelo facto de tanta gente apreciar o meu trabalho”, conclui o jovem, que sonha “ter a sua própria galeria” no futuro.
 
Atualmente e até 3 de Fevereiro, os trabalhos de Kelvin Okafor estão em exibição na exposição The Watercolours + Works, na Feira do Papel, no Museu de Ciência de Londres, em Inglaterra.

Clique AQUI para aceder ao blog oficial de Kelvin Okafor, onde poderá ver outros dos seus retratos.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close