i9magazine

Para 76% dos portugueses, o desenvolvimento tecnológico prejudica fidelidade às marcas de automóveis

Versão para impressão

De acordo com o Observador Cetelem Automóvel 2018, o receio de não usufruir das últimas novidades tecnológicas tem implicações na fidelização dos automobilistas às marcas automóveis, uma vez que 76% consideram que a inovação tecnológica não permite que se opte sempre pelas mesmas marcas. Este é um valor inclusivamente acima da média dos europeus inquiridos pelo estudo, que atinge os 72%.

“A relevância deste estudo prende-se com o diagnóstico de algumas situações que as marcas podem ter em conta de forma a melhorarem a sua oferta e, consequentemente, a fidelização dos seus clientes. Embora a inovação tecnológica traga muitas vantagens aos fabricantes e os torne mais competitivos, o ambiente concorrencial e constantemente evolutivo pode tornar-se demasiado feroz, o que impede as marcas de fidelizarem os seus clientes, que procuram as últimas novidades”, refere Pedro Nuno Ferreira, Diretor Automóvel do Cetelem.

Para os inquiridos do estudo Observador Cetelem Automóvel 2018, a fidelização a uma marca depende de vários fatores e é um assunto bastante sensível. Embora 27% dos consumidores portugueses considerem ser mais fieis a uma marca automóvel do que a uma marca de eletrodomésticos ou telemóveis, 85% dos inquiridos referem que, quando perdem a confiança numa marca, não há nada que esta possa fazer para a tentar restabelecer. Ainda assim, 13% dos inquiridos revelaram ser menos fieis a uma marca de automóveis do que a marcas de outros produtos.

Em média, 40% dos inquiridos que optam por não mudar de design do automóvel garantem que permanecerão fidelizados à mesma marca. Contudo, apenas 25% dos consumidores que mudam de viatura e também de design planeiam comprar a mesma marca em ocasiões futuras.

De entre todos os inquiridos do estudo feito pelo Observador Cetelem Automóvel 2018, os mais fidelizados às marcas são aqueles que possuem uma carrinha combispace. 65% dos consumidores que possuem este tipo de viatura mostram-se satisfeitos com o modelo adquirido e não planeiam mudar de marca no momento de compra do próximo automóvel. Já os que admitem ser menos fieis às marcas são proprietários de veículos 4×4 ou de SUVs (22%).

O conteúdo Para 76% dos portugueses, o desenvolvimento tecnológico prejudica fidelidade às marcas de automóveis aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close