Ambiente

Pandas treinam adaptação à vida selvagem

Um grupo de seis pandas gigantes foi colocado, esta quarta-feira, num ambiente de semi-liberdade para se adaptarem à vida selvagem e reproduzirem
Versão para impressão
O Centro de Pesquisas Chengdu do Panda Breeding Research Center, localizado na província de Sichuan, na China, colocou, esta quarta-feira, seis pandas gigantes, cuja espécie se encontra em extinção, num espaço semi-selvagem com vista a adaptar os animais ao seu habitat natural.

O projeto tem como objetivo preparar os animais criados em cativeiro para sobreviver fora de Chengdu. Os pandas encontram-se, por isso, num habitat criado pelo centro, semelhante ao dos pandas naturais, para que estes tenham o melhor ambiente possível para se reproduzirem. Aqueles que se adaptarem bem à zona inicial serão, posteriormente, libertados para uma maior área de vida selvagem.

Xing Rong, Xing Ya, Gong Zai, Ying Ying, Zhi Zhi e Qi Qi, com idades entre
os dois e os quatro anos, foram os primeiros seis pandas selecionados dos 108 criados pelo Projeto de Reabilitação para Pandas Gigantes de Chengdu. 

Os animais já foram enviados para o “treino de vida selvagem”, levado a cabo numa área florestal de mais de 130 hectares, chamada o Vale dos Pandas, nos arredores da cidade de Dujiangyan, na província chinesa de Sichuan, a 60 quilómetros de Chengdu.

Depois de dois meses na nova casa, onde os contactos com humanos serãoreduzidos a pouco e pouco, os pandas serão transferidos para um espaço ainda maior.

“A principal missão do Vale dos Pandas é ser um campo de treino para a vida em estado selvagem. Não é o destino final onde estes animais serão libertados”, disse Fei Lisong, sub-director do centro Chengdu Giant Panda Rehabilitation, em comunicado.

Durante este tempo, várias câmaras vão permitir aos veterinários vigiar, à
distância, estes mamíferos e saber se aprenderam a sobreviver sozinhos.

Considerados um tesouro nacional, os pandas gigantes foram recuperados quando se encontravam  à beira da extinção, mas continuam a ser uma espécie ameaçada devido à desflorestação, agricultura e invasões de terras que têm vindo a decorrer no país.

[Notícia sugerida por Raquel Baêta e Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close