Inovação e Tecnologia

Ovar inaugura ponte com apenas 2 dedos de espessura

Tem apenas uma espessura de apenas dois dedos mas é altamente resistente à corrosão e elimina a vibração. A Ponte de São Silvestre, inaugurada no fim de Fevereiro, em Ovar, é um projeto da Universidade do Minho (UMinho), Instituto Superior Técnico (
Versão para impressão
É a ponte de betão auto-compactável mais fina do mundo. Apesar de ter apenas uma espessura de dois dedos é altamente resistente à corrosão e elimina a vibração. A Ponte de São Silvestre, inaugurada no fim de Fevereiro, em Ovar,  é um projeto da Universidade do Minho (UMinho), Instituto Superior Técnico (IST) e ALTO.

A ponte pedonal tem 11 metros de comprimento e 2 metros de largura possuindo uma laje de apenas 38 milímetros de espessura. Esta ponte, feita de betão-autocompactável reforçado com fibras, é considerada leve para uma estrutura deste tipo: pesa apenas três toneladas. Por ser mais leve, torna-se numa estrutura mais fácil de transportar e instalar.

A ponte está situada sobre o rio Cáster no Parque da Senhora da Graça e o nome veio da prova de atletismo com o mesmo nome. 

Elimina vibrações e resiste à corrosão

A ponte “combina materiais, perfeitamente compatíveis, sem incluir qualquer armadura convencional e com a particularidade de ter perfis pultrudidos em polímero reforçado com fibras de vidro”, explica Joaquim Barros, coordenador do projeto e professor catedrático do departamento de Engenharia Civil da UMinho.

A ponte de São Silvestre possui um caráter auto-compactável, o que elimina situações de vibração. As fibras e as propriedades de resistência neste betão contribuem para o peso e espessura reduzidos e aumentam a resistência à corrosão. 

Os autores do projeto acreditam, por isso, que não haverá lugar para trabalhos de manutenção, como ocorre noutras estruturas semelhantes. A não ser, como nota Joaquim Barros, “pormenores pontuais, como uma pintura”.

“Os tipos de materiais adoptados na estrutura podem ser aplicados noutros sistemas construtivos, com vantagens técnicas e económicas, principalmente em zonas de elevada agressividade ambiental, como a costa marítima”, conclui. 

A investigação esteve a cargo da ALTO, especializada no fabrico de materiais compósitos, enquanto que a construção do tabuleiro foi uma responsabilidade da CiviTest. Os ensaios estruturais foram feitos na Tecnipor. Contou com o apoio do QREN e da Agência de Inovação (AdI).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close