Mundo

Organização jornalística expõe mundo dos ‘offshores’

São milhares de ficheiros (até agora) secretos que revelam o uso e abuso de contas 'offshore' e paraísos fiscais por parte de empresas, multimilionários, políticos e outras entidades.
Versão para impressão
São milhares de ficheiros (até agora) secretos que revelam o uso e abuso de contas 'offshore' e paraísos fiscais por parte de empresas, multimilionários, políticos e outras entidades um pouco por todo o mundo. Os dados foram revelados por uma organização internacional de jornalismo de investigação. 

O International Consortium of Investigative Journalists expôs o acesso a milhões de ficheiros com dados de mais de 120 mil empresas e contas 'offshore' envolvendo negócios de políticos, criminosos e bilionários de todo o mundo.
 

O ICIJ afirma, em comunicado, que os documentos a que teve acesso representam “a maior quantidade de informação confidencial sobre o sistema financeiro dos 'offshores' alguma vez obtida por uma organização de media”. Apenas alguns ficheiros estão disponíveis no site do ICIJ, mas a organização está a distribuir os documentos por vários meios de comunicação, em diversos países, para que avancem com investigações. 
 
Os registos contêm dados detalhados das contas de empresas e indivíduos de mais de 170 países e territórios. “O tamanho total dos ficheiros, medidos em gigabytes, é mais de 160 vezes maior do que a fuga de informação dos documentos dos Departamento de Estados dos EUA a que a Wikileaks teve acesso em 2010”, lê-se no comunicado da organização.
 
De acordo com a informação divulgada, são vários os casos de membros de governos e seus familiares, em dezenas de países, que escolheram apostar no sigilo bancário e nas contas ‘offshore’.

Os ficheiros secretos a que o ICIJ teve acesso revelam transferências bancárias e ligações entre indivíduos e empresas que confirmam o crescimento exponencial do mundo secreto dos 'offshore', permitindo que os mais ricos e mais bem relacionados escapem aos impostos e obtenham benefícios que alimentam a corrupção e aumentam o fosso entre ricos e pobres.

O ICIJ recorda que, segundo as instituições de combate à corrupção, o secretismo do mundo financeiro 'offshore' boicota o funcionamento das leis e força o cidadão comum a pagar impostos mais altos para compensar os valores que foram desviados para os paraísos fiscais.

Uma máquina secreta
 

Ainda segundo o ICIJ, os multimilionários recorrem a complexos esquemas de ‘offshore’ para adquirir mansões, iates, obras de arte e outros bens. São estratagemas que lhes permitem escapar aos impostos de uma forma anónima e através de métodos que não estão disponíveis ao resto dos cidadãos. 
 
Além disso, indica o ICIJ, muitos dos bancos internacionais – incluindo o UBS e o Deutsche Bank – têm recomendado aos seus próprios clientes, de uma forma cada vez mais agressiva, o registo de empresas em paraísos fiscais como as Ilhas Virgens Britânicas.
 
Esta indústria secreta alimenta também um sem fim de advogados, contabilistas e outros intermediários que ajudam os donos das contas 'offshore' a manter as suas identidades e os seus negócios anónimos, garantindo, em alguns casos, milionários negócios de lavagem de dinheiro relacionados com tráfico de armas e outros crimes.
 
“Nunca vi nada assim. Este mundo secreto foi finalmente exposto”, disse, citado pelo ICIJ, Arthur Cockfield, um professor de Direito e perito em impostos da Universidade de Queen’s, no Canadá, que teve acesso a alguns dos documentos.

O especialista afirma que estes ficheiros lhe fazem lembrar uma cena mítica do Feiticeiro Oz: o momento em que as personagens “puxam a cortina e vêem o feiticeiro a operar uma máquina secreta.”

Clique AQUI para aceder ao site do ICIJ e consultar o comunicado oficial (em inglês).

[Notícia sugerida por Nuno Fonseca]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close