Mundo

Operação a laser salva trigémeas dentro do útero

Três gémeas, atingidas com a Síndrome da Transfusão entre Gémeos, foram resgatadas com sucesso do útero da mãe, através de uma operação inovadora realizada no Reino Unido.
Versão para impressão
No Reino Unido, três gémeas vítimas da Síndrome da Transfusão entre Gémeos, que muitas vezes é mortal, foram resgatadas com sucesso ainda dentro do útero da mãe, graças a uma operação a laser.

Esta doença ocorre quando um dos bebés se torna dador de sangue e um outro receptor, fazendo com que as hipóteses de morte, ainda dentro do útero, sejam elevadas. 

A delicada cirurgia – que raramente é efetuada, sobretudo no caso de trigémeos – separou com sucesso o fornecimento de sangue entre as bebés Eilah e Elsie que partilhavam a mesma placenta.

Elsie, que funcionava como dadora de sangue, estava em risco de não se conseguir desenvolver, e a sua irmã, Eilah, recebia demasiado sangue, o que poderia prejudicar o desenvolvimento do coração.

Eilah e Elsie, tal como a terceira bebé, Erin, nasceram saudáveis em Outubro, com cerca de um quilo cada uma. Hoje, as três gémeas pesam perto de três quilos, sendo Elsie a mais pequena e Eilah a maior.

Na semana passada, véspera de Natal, foi a vez de Elsie ir para casa ter com as duas irmãs, que tiveram alta no início de Dezembro, após dois meses internadas no hospital.

Os pais, Laura Slinger e Martin Halliwell, contaram ao jornal britânico Daily Mail que tinham sido informados pelos médicos de que “a única esperança” de salvar as três bebés seria esta operação, se não arriscassem pelo menos uma das suas filhas iria morrer.

Erin não estava afetada pela Síndrome, mas que também estava igualmente em perigo, caso a doença desenvolvesse uma infeção no útero, ou a cirurgia corresse mal.

“O melhor presente de Natal”

“É uma operação complicada, o terceiro bebé pode tornar difícil o alcance aos outros. Mas estou feliz por a operação ter corrido bem, e todas as bebés terem nascido sãs e salvas”, explicou Amar Bride, o médico responsável pela operação.

Os dois jovens progenitores contam ao mesmo jornal que ficaram “devastados” com a descoberta do problema, detetado durante a 17.ª semana de gestação.

“Ficámos preocupados com a operação e sabiamos que poderia ser fatal para as bebés, mas também sabíamos que não haveria outra opção para tentar salvar as gémeas”, explicou o pai, de 29 anos.

A cirurgia foi realizada no Hospital St.George, em Tooting, no sul de Londres. Os progenitores tiveram que esperar duas semanas para saber se o novo fornecimento de sangue das bebés estava a funcionar corretamente.

A mãe, Laura Slinger, expressou a sua felicidade ao jornal britânico Daily Mail: ” Temos três filhas saudáveis e este é o melhor presente da Natal que podia ter”, e o pai contou que se sente “orgulhoso” das filhas.

Notícia sugerida por Maria da Luz

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close