Mundo

ONG lusa garante “Saúde para todos” em S. Tomé

NULL
Versão para impressão
O projeto da organização não governamental (ONG) para o desenvolvimento apelidado “Saúde para Todos” dá o que promete: saúde para quem mais precisa dela, em especial nos países mais carenciados, privados dos equipamentos necessários e condições sanitárias favoráveis como é o caso de São Tomé e Príncipe, onde o Instituto Marquês de Valle Flôr (IMVF) promove uma melhoria nos cuidados de saúde há mais de 20 anos.

“O ´Saúde para Todos` é mais que o nome de um projeto, é uma parceria, materializada em vários programas e atividades, num esforço conjunto de alguns anos”, explica ao Boas Notícias o médico Ahmed Zaky, diretor do IMVF que em 1988 lançou o primeiro projeto de saúde em São Tomé, localizado no distrito de Mé-Zochi.

“Foi o primeiro passo, o precursor do atual projeto ´Saúde para Todos`, que presta hoje cuidados de saúde – preventivos, primários, assistenciais e especializados – a toda a população do país através da rede nacional de Hospitais, Centros e Postos de Saúde”, todos remodelados e equipados nos meados dos anos 80, conforme relembra Ahmed Zaky.

Em 1995 o projeto já abrangia cerca de 40% da população do país. Em 2005, o IMVF contava com o apoio dos atuais parceiros como o Ministério da saúde de São Tomé e Príncipe, o Instituto de Português de Apoio ao Desenvolvimento e a Fundação Calouste Gulbenkian, para levar o Saúde a todos a cinco distritos de forma a aproximar os serviços das comunidades.

Seguiram-se o “Saúde para Todos: Alargamento e Consolidação”, em 2008, e no ano seguinte o “Saúde para Todos: Especialidades” através do qual instalaram um serviço de telemedicina entre São Tomé e Portugal. Pretende-se com esta nova aposta na Telemedicina quebrar com o isolamento, garantindo mais e melhor assistência médica aos santomenses.

Este serviço tem com consequências felizes a nível económico, mas também social, já que irá permitir reduzir o número de evacuações sanitárias. Estas evacuações ocorrem sempre que um cidadão santomense necessite de tratamento ou de fazer exames em Portugal, por falta de recursos a nível local para lidar com o problema.

5000 consultas incluindo Imagiologia

Neste âmbito são realizadas cerca de 5.000 teleconsultas por ano e são também apoiadas intervenções cirúrgicas com recurso a esta tecnologia que permite o acompanhamento em tempo real, com precisão de imagem e som.

Segundo o Dr. Zaky, o maior desafio foi mesmo conseguir garantir um serviço de internet estável em São Tomé e Príncipe. Foi necessário também proceder à digitalização do setor de Imagiologia para permitir que as imagens radiológicas ficassem apenas à distância de um clique entre o Hospital Central DR. Ayres de Menezes e Portugal, onde conta com o reconhecimento de interesse público pelo Alto Comissariado da Saúde e o patrocínio da Fundação PT.

O IMVF espera – depois de ultrapassada esta fase inicial de implementação, formação e otimização do sistema de Telemedicina – poder alargar o seu acesso a mais unidades hospitalares. Espera também ver aceite o co-financiamento da União Europeia para que possa replicar o serviço nos restantes países dos PALOP.

Aumento da esperança de vida e redução da mortalidade infantil

Paralelamente ao projeto mais recente da Telemedicina, estão ainda a ser desenvolvidas atividades de abastecimento de água potável e saneamento do meio e de educação e informação para a saúde.

O IMVF acredita assim que graças a esta e todas as outras ações que já implementou no terreno fica provado que é possível melhorar os níveis de desenvolvimento em países pobres através de cuidados de saúde de qualidade financeira e tecnicamente sustentável.

 “O percurso feito pelo IMVF e pelos seus parceiros ao longo de mais de 20 anos de trabalho tem permitido aperfeiçoar, reforçar e consolidar as bases do processo de desenvolvimento sanitário no país e ainda contribuir para assegurar a sustentabilidade técnica e financeira do sistema nacional de saúde”, realça o Dr. Ahmed.

De resto, os números deixam transparecer o sucesso e impacto de todo este trabalho: a esperança média de vida em São Tomé e Príncipe é já de quase 70 anos contra uma média de 52,7 anos nos países equiparáveis da África subsariana; a taxa de mortalidade infantil baixou para 35% em contraste com os 86% na restante África subsariana.

“Estes resultados permitem colocar São Tomé e Príncipe num bom caminho para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, definidos pelas Nações Unidas, no que à saúde diz respeito”, salienta o mesmo responsável que é também Médico Especialista em Medicina Tropical e Saúde Pública.

Segundo este responsável, muitos dos que hoje se dirigem aos postos de saúde para que os seus filhos sejam assistidos interpelam-nos para recordar os momentos em que ainda crianças foram salvas de problemas gravíssimos, e que foram intervencionadas quando não conseguiam respirar ou recuperaram após dias em coma.

“De cada vez que lá volto inúmeras pessoas continuam a reconhecer-me e a saudarem o trabalho levado a cabo pelo IMVF desde os primórdios da sua intervenção com o projecto de saúde em Me-zochi”, congratula-se o Dr Ahmed.

155.000 pessoas e 51 unidades de saúde

O “Saúde para Todos” já está presente nos 7 Distritos de São Tomé e Príncipe. Beneficia diretamente toda a população, estimada em 155.000 pessoas, através de uma rede descentralizada de 51 Unidades de Saúde – entre Centros e Postos de saúde e dois Hospitais.

De acordo com dados do IMVF, cerca de 96% da população reside a menos de 45 minutos a pé de uma destas Unidade de Saúde, onde podem aceder a cuidados de saúde preventivos, primários, assistenciais e especializados aumentando a assim acessibilidade e a equidade no sector.

São situações como estas que permitem aos responsáveis do IMVF e do projeto “Saúde para Todos”, ao fim de mais de duas décadas continuar a lutar pela realização de programas e projectos que permitam o desenvolvimento sustentável e a procura de melhores soluções para as pessoas de diversas comunidades de São Tomé e Príncipe.

Ana Margarida Pereira

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close