i9magazine

Oficina: Fazer da cultura trabalho

Versão para impressão

Esta Cooperativa de Interesse Público de Responsabilidade Limitada foi primeiramente lançada para criar uma estrutura capaz de valorizar, promover e divulgar as artes e os ofícios tradicionais da cidade-berço de Portugal. Mas ao longo do tempo foi enriquecendo a sua esfera de atuação e desenvolveu, em 1994, o Teatro Oficina. Uma companhia de teatro capaz de combater as assimetrias regionais que, à data, se faziam sentir mais intensamente, e que proporcionasse aos cidadãos da região espaços de formação e fruição cultural.

Pelo seu contributo para a democratização do acesso aos bens culturais, em 2004 estabeleceu um protocolo de atuação com o município de Guimarães, passando a organizar diversos eventos de domínio cultural.

O GUIdance – Festival Internacional de Dança Contemporânea, Westway LAB Festival, Guimarães Jazz, Festival Manta, Festas da Cidade e Gualterianas e Festivais Gil Vicente são alguns exemplos do trabalho realizado pela Oficina.

Após a abertura do Centro Cultural Vila Flor, no ano de 2005, a labuta foi redobrada porque foi atribuída à Oficina a gestão e programação deste espaço cultural. Com esta nomeação, a instituição viu novos alicerces para desenvolver novas disciplinas, linguagens e géneros artísticos na cidade e envolvente de Guimarães.

A opção por programas culturais contemporâneos, regulares, ecléticos e diversificados despertou a atenção dos vários agentes culturais europeus que, em 2012, elegeram Guimarães como a Capital Europeia da Cultura. À Oficina foi atribuída a organização de 60% de toda a calendarização cultural desenvolvida durante esse ano.

Um ano depois, passou também a dirigir a Black Box da Plataforma das Artes e da Criatividade e o Centro Internacional das Artes José de Guimarães, que junta peças das coleções de Arte Tribal Africana, Arte Pré-Colombiana e Arte Chinesa Antiga de José de Guimarães, e outras obras da autoria do artista e de outros artistas contemporâneos. Este centro também expõe objetos do património popular, religioso e arqueológico, definindo um roteiro geográfico e temporal ao longo da terral natal do artista.

A Oficina gere ainda o Centro de Criação de Candoso, o Espaço Oficina e a Loja Oficina (património e artesanato).

Entre os múltiplos afazeres culturais assumidos pela Oficina, ressalta a enorme reputação nacional e internacional que tem alcançado ao longo dos anos. Pela mão de uma equipa dinâmica, jovem, tem-se enriquecido e divulgado a cultura portuguesa, em residências de artistas, ações educativas e programas culturais criativos.

www.aoficina.pt

O conteúdo Oficina: Fazer da cultura trabalho aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close