Ciência

Obesidade: Fármaco experimental “mata” a gordura

NULL
Versão para impressão

Um fármaco experimental poderá vir a contribuir para o combate à obesidade em humanos. A revelação foi feita por pesquisadores do Centro de Cancro MD Anderson, da Universidade do Texas, nos EUA. Os resultados, transpostos para um estudo, surgem depois de testes feitos em macacos e ratos.

Normalmente, os medicamentos contra o excesso de peso estão focados em fatores como a redução do apetite, o aumento do metabolismo ou a prevenção da absorção de gordura. Porém, esta nova droga – denominada Adipotide – funciona de modo diferente: ataca e trava o fluxo sanguíneo para o tecido adiposo branco, um tipo de gordura que tende a acumular-se sob a pele e em torno da barriga.

O estudo, publicado na Science Translational Medicine, explica como funciona este “ataque”. A droga em questão “une-se a uma proteína localizada na superfície dos vasos sanguíneos da gordura e contém pépticos sintéticos [elementos que auxiliam a digestão] que induzem à morte celular”. Ao inibir-se a circulação sanguínea nesses tecidos, as células adiposas morrem e são reabsorvidas pelo organismo.

A Adipotide conseguiu reduzir em 11% o peso de macacos obesos em apenas um mês. Os animais engordaram naturalmente, fazendo uma alimentação desregrada e não praticando exercício. Nas primeiras três semanas de tratamento registou-se o emagrecimento, tendo o peso aumentado um pouco na quarta semana. De acordo com os cientistas, em média, houve uma redução de 11% do total de massa gorda. No caso dos testes feitos em roedores, os resultados foram ainda mais promissores, tendo estes animais perdido 30% do peso que possuíam no mesmo período de tempo.

A pesquisa, financiada pelos Institutos Nacionais de Saúde e do Instituto Nacional do Cancro dos EUA trouxe ainda outro bom indicador. Os macacos tratados com este fármaco terem evidenciaram um aumento da resistência à insulina, o que sugere que ela poderá evitar o desenvolvimento de diabetes do tipo 2.

Os investigadores confessam que se verificaram alguns efeitos nocivos nos rins dos animais, mas que esse problema poderá ser solucionado com a redução da dose de Adipotide administrada. Abre-se, assim, uma nova esperança para a luta contra o excesso de peso.

Clique AQUI para aceder ao estudo divulgado esta quarta-feira.

[Notícia sugerida por Ana Guerreiro Pereira]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close