Em Destaque Saúde

O Vitinho está de volta!

A importância da criação de hábitos para o controlo da asma, na nova edição da campanha “Que a Asma não te Pare”. Veja o Vitinho em ação!
Versão para impressão

 

Para quem nasceu nos anos 1970 ou 1980, o Vitinho dispensa apresentações. Faz parte do imaginário de uma geração que se habituou a vê-lo antes de ir para cama, aceitando os seus conselhos para uma noite descansada. Para os restantes, ficam os registos que a Internet não deixa esquecer, de uma personagem animada que está de volta, agora com conselhos sobre a asma. Por ocasião do Dia Mundial da Asma, que se assinala amanhã, dia 01 de maio, e tendo em conta que esta doença respiratória crónica afeta 700 mil portugueses, 300 milhões em todo o mundo, o Instituto Mundipharma devolve o Vitinho à ribalta, na nova edição da Campanha ‘Que a Asma não te Pare’, que visa sensibilizar os doentes para a importância de ter a doença controlada.

Os números não deixam margem para dúvidas: nove em cada 10 doentes com asma não controlada têm perceção errada do estado de controlo da sua doença, o que pode dificultar a procura de melhor tratamento e tem consequências: da agudização da asma, com necessidade de internamento, a consultas de urgência e absentismo escolar e laboral.

É sobretudo uma inadequada adesão ao tratamento regular e contínuo e a utilização incorreta dos dispositivos inalatórios que justificam estes números, levando a que quase metade dos asmáticos portugueses não tenha a doença controlada (43% da população geral e 51% da população pediátrica). Uma situação que tem custos que vão para além da saúde, tal como confirmam os dados de um estudo do CINTESIS – Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde, que revela que o aumento do controlo da asma permitiria uma poupança de cerca de 184 milhões de euros por ano em Portugal, o representaria uma redução de 20% na despesa global com a doença.

Ajudar a mudar estes números é a tarefa do Vitinho, numa campanha que inclui um vídeo animado, onde são descritos alguns dos sintomas da doença e a importância da criação de hábitos para a adesão à terapêutica. É que a asma, quando controlada, não tem que ser sinónimo de restrições ou limitações, não tem que impedir idas à escola ou ao trabalho, a prática de atividades desportivas ou uma vida normal. Download do vídeo da campanha.

A campanha pretende transmitir estas mensagens, pois como afirma o Prof. João Fonseca, Vice-Presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), “A melhoria do controlo da asma também passa pela realização de esforços concertados na melhoria da literacia de saúde da população”. Ou como afirma o Prof. José Alves, Presidente da Fundação Portuguesa do Pulmão, “para sermos ouvidos é necessário acerto na linguagem e na simbologia. O uso de metáforas é muito bem aceite e pode ser determinante.”

Há três anos que o Instituto Mundipharma desenvolve campanhas que visam, através de uma linguagem simples e direta, com a participação de figuras públicas, transmitir uma mensagem positiva sobre a asma aos doentes e seus familiares. Este ano a campanha conta com o apoio da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), da Sociedade Portuguesa de Alergologia Pediátrica (SPAP), da Fundação Portuguesa do Pulmão, da Associação Portuguesa de Asmáticos (APA) e do Grupo de Trabalho de Problemas Respiratórios (GRESP) da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF).

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close