Inovação e Tecnologia

Novo aparelho deteta doenças através da respiração

Uma empresa japonesa desenvolveu o protótipo de um dispositivo capaz de detetar doenças através da respiração. De acordo com a companhia, o aparelho poderá, no futuro, tornar a deteção de diversas patologias muito mais simples e rápida.
Versão para impressão
Uma empresa japonesa desenvolveu o protótipo de um dispositivo capaz de detetar doenças através da respiração. De acordo com a companhia, o aparelho poderá, no futuro, tornar a deteção de diversas patologias muito mais simples e rápida, facilitando o diagnóstico.
 
A notícia é avançada pelo jornal nipónico Nikkei, citado pela agência de notícias EFE, que conta que esta solução inovadora está a ser desenvolvida pela empresa produtora de cristais de quartzo NDK – Nihon Dempa Kogyo, com sede no Japão, em colaboração com a Universidade de Kitakyushu, no mesmo país.
 
O dispositivo, que já conseguiu identificar, com sucesso, a presença de cirrose hepática em vários pacientes através da respiração (detetando vestígios de gás de amónia no organismo, um indicador da patologia), funciona graças a um conjunto de osciladores de quartzo cujos elétrodos estão cobertos com membranas “especiais”.
 
Ao serem expostos ao ar expelido pelos indivíduos, os osciladores reagem e indicam se determinada substância está ou não presente no seu corpo. Segundo a NDK, o sistema é particularmente eficaz porque os cristais de quartzo têm “mais sensibilidade” na deteção de odores do que os semicondutores ou sistemas microeletromagnéticos utilizados noutros tipos de diagnóstico.
 
Neste momento, o protótipo necessita de um tempo de 20 minutos para recolher uma “amostra” da respiração dos pacientes com recurso a uma máscara e para, posteriormente, reduzir a humidade desta amostra e proceder à análise.
 
A empresa pretende, agora, estabelecer parcerias com fabricantes de equipamento médico para acelerar o processo e melhorar o sistema atual, em especial o funcionamento das membranas.

O objetivo, adianta a NDK, é “tornar possível para os pacientes respirar diretamente para os osciladores, permitindo um diagnóstico imediato”.
 

De acordo com a companhia, o aparelho deverá, também, ser uma alternativa mais barata às ferramentas usadas, hoje em dia, para diagnóstico, já que a tecnologia tem o quartzo, um material comum e fácil de encontrar, como principal matéria-prima. 
 

Notícia sugerida por Patrícia Guedes

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close