Saúde

Nova técnica evita transmissão de doenças genéticas

Um grupo de cientistas internacional desenvolveu uma nova técnica que poderá ajudar a evitar o aparecimento de doenças genéticas de herança materna, tendo conseguido substituir o ADN mitocondrial defeituoso por outro saudável em óvulos humanos.
Versão para impressão
Um grupo de cientistas internacional desenvolveu uma nova técnica que poderá ajudar a evitar o aparecimento de doenças genéticas de herança materna, tendo conseguido substituir o ADN mitocondrial – material genético localizado fora do núcleo das células – defeituoso por outro saudável em óvulos humanos.
 
De acordo com um artigo publicado esta quarta-feira na revista Nature, a equipa conseguiu trocar o material genético deformado por outro livre de mutações defeituosas proveniente de uma dadora, obtendo um óvulo capaz de produzir blastócitos (embriões com cinco ou seis dias de vida) com normalidade e células estaminais, as células que dão origem a outras.
 
Desta forma, o bebé que vier a nascer deste óvulo terá todos os traços genéticos da sua mãe biológica, mas não herdará as doenças que possam ter sido transmitidas pela progenitora, uma vez que terá o ADN mitocondrial da dadora, afirmou o investigador Shoukhrat Mitalipov, citado pela agência Efe, em conferência de imprensa.
 
Os cientistas explicaram ainda que o ADN mitocondrial, herdado sempre por via materna, é o responsável pela transmissão de doenças genéticas incuráveis que afetam especialmente os órgãos e os tecidos com maiores necessidades de energia, como o cérebro, o coração, o pâncreas e os rins, o que justifica a importância da nova técnica.
 
Segundo Mitalipov, antes da experiência com óvulos humanos, a equipa tinha já conseguido aplicar a sua técnica em óvulos de fêmeas de macacos que fertilizaram posteriormente, levando ao nascimento de quatro crias perfeitamente saudáveis.
 
Para o especialista, os resultados da experiência representam o primeiro passo de uma investigação que pode traduzir-se numa terapêutica genética capaz de evitar o desenvolvimento, nos bebés, de doenças herdadas da mãe. 

Clique AQUI para aceder ao estudo (em inglês).

[Notícia sugerida por Raquel Baêta]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close