Ciência

NASA quer enviar novo robô a Marte em 2016

A NASA anunciou esta segunda-feira que pretende enviar um novo robô a Marte em 2016. O objetivo da missão, denominada InSight, é investigar a evolução do interior do "planeta vermelho" e descobrir o porquê de ser tão diferente da Terra.
Versão para impressão
A NASA anunciou esta segunda-feira que pretende enviar um novo robô a Marte, em 2016. O objetivo da missão, denominada InSight, é investigar a evolução do interior do ‘planeta vermelho’ e descobrir o porquê de ser tão diferente da Terra, apesar de serem ambos rochosos.

Em comunicado, a estação espacial norte-americana deu a conhecer a sua próxima missão destinada a Marte. Chama-se InSight e viajará equipada com vários instrumentos capazes de comprovar de o núcleo daquele planeta é sólido ou líquido, como o da Terra, e por que razão não está dividido em placas tectónicas como o nosso planeta.

Este conhecimento mais aprofundado do interior de Marte “ajudará os cientistas a perceberem melhor como se formam e evoluem os planetas rochosos”, pode ler-se na nota da NASA. A exploração do “planeta vermelho” é, neste momento, uma das prioridades da estação espacial, sobretudo no seguimento da aterragem bem-sucedida do robô Curiosity, facto que despertou o interesse público pela exploração do Espaço.

A nova missão, InSight, prevista para Setembro de 2016, que desvendará outros mistérios de Marte, será liderada por Bruce Banerdt, do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, sigla em ingês) da NASA, na Califórnia. A equipa científica envolvida será composta por investigadores de todo o mundo, oriundos de universidades, indústrias e agências governamentais.

O robô a ser criado com a colaboração do Centro de Estudos Espaciais de França (CNES, sigla em francês) e do Centro Aeroespacial da Alemanha terá quatro instrumentos. O JPL fornecerá um instrumento geodésico de referência para determinar o eixo de rotação de Marte e um braço robótico com duas câmaras incorporadas destinadas à monitorização das ações.

Por sua vez, o Centro Aeroespacial da Alemanha terá a seu cargo a construção de uma sonda subterrânea para medir o fluxo de calor desde as profundezas, enquanto o CNES criará um aparelho capaz de medir as ondas sísmicas no interior do ‘planeta vermelho’.

A missão InSight terá uma duração aproximada de dois anos e implica um investimento de, aproximadamente, 344 milhões de euros, sem contar com o sistema de lançamento e os custos de manutenção. A iniciativa é a 12ª seleção do Discovery da NASA, programa criado em 1992 com o objetivo de apoiar missões de exploração do sistema solar.

Clique AQUI para aceder ao comunicado da NASA (em inglês).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close