Ciência

NASA descobre planeta muito semelhante à Terra

A NASA acaba de apresentar ao mundo aquele que é o planeta mais parecido com a Terra descoberto até hoje. O Kepler 452-b é o primeiro planeta com tamanho idêntico ao do nosso "planeta azul" e que se localiza na chamada zona habitável.
Versão para impressão
A NASA acaba de apresentar ao mundo aquele que é o planeta mais parecido com a Terra descoberto até hoje. O Kepler 452-b é o primeiro planeta identificado pela agência espacial norte-americana com tamanho idêntico ao do nosso “planeta azul” e que se localiza na chamada zona habitável, orbitando uma estrela semelhante ao Sol.
 
O planeta, que abre caminho à possível descoberta de uma “Terra 2.0”, como lhe chama a NASA, é descrito pelos astrónomos como “um primo maior e mais velho da Terra”. Embora tenha dimensões superiores, o Kepler-452b demora apenas mais 20 dias (385) do que o planeta azul a concluir uma volta em torno da sua estrela. 
 
Este “primo” do nosso planeta está 5% mais longe da sua estrela do que a Terra está do Sol e é, também, mais antigo: tem seis mil milhões de anos de idade, o que o torna 1,5 mil milhões de anos mais velho que o nosso Sol. Embora o Kepler-452b seja 20% mais brilhante e tenha um diâmetro 10% superior ao da Terra, os dois planetas partilham a mesma temperatura, destacam os cientistas.
 
Segundo a NASA, o Kepler-452b é o planeta “mais pequeno” descoberto até à data que orbita a sua estrela (do tipo G2, como o Sol) na zona habitável, ou seja, na área onde a temperatura é suficientemente baixa para permitir que exista água em estado líquido na superfície planetária. 
 
“Podemos pensar no Kepler-452b como um primo maior e mais velho da Terra, o que nos dá a oportunidade de compreender e refletir sobre o ambiente de desenvolvimento do nosso planeta”, afirma, em comunicado, Jon Jenkins, cientista do centro de investigação AMES da NASA, na Califórnia, que liderou a descoberta.
 
“É fantástico constatar que este planeta passou seis mil milhões de anos na zona habitável da sua estrela – mais tempo do que a Terra. Trata-se de uma oportunidade substancial para o desenvolvimento de vida, desde que todos os ingredientes e condições necessárias existam no planeta”, considera Jenkins.

Há 12 outros candidatos a “familiares” da Terra
 

A descoberta do Kepler-452b, cujo sistema planetário se localiza a 1.400 anos-luz, na Constelação do Cisne, aumentou para 1030 o número de planetas já confirmados pela NASA. Até ao momento, a missão Kepler detetou, já, 4.696 candidatos a planeta. 
 
Destes, 12 “têm diâmetros uma a duas vezes superiores ao da Terra e orbitam as suas estrelas na zona habitável, sendo que nove destas estrelas são semelhantes ao Sol em tamanho e temperatura”.
 
“Estas informações dão aos astrónomos uma população estatisticamente equilibrada para que, no futuro, seja possível determinar, com precisão, o número de pequenos planetas, possivelmente rochosos, como a Terra, que existem na Via Láctea”, antecipa Jeff Coughlin, outro dos cientistas da missão Kepler.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close