Ciência

NASA acredita que há vida numa das luas de Júpiter

A descoberta de vestígios de água salgada na superfície de Europa, uma das quatro luas de Júpiter, leva os investigadores da agência espacial norte-americana a ter fortes esperanças de encontrar vida naquele astro.
Versão para impressão
A descoberta de vestígios de água salgada na superfície de Europa, uma das quatro luas de Júpiter, leva os investigadores da agência espacial norte-americana a ter fortes esperanças de encontrar vida naquele astro.

Mike Brown, do Instituto de Tecnologia da Califórnia, e Kevin Hand, da NASA, verificaram que a água salgada desta lua consegue furar a crosta de gelo que a cobre e chegar à superfície.

Isto significa que há uma troca de químicos entre o oceano submerso e a superfície do satélite o que confere à água da lua Europa propriedades químicas propícias à formação de vida extraterrestre.

Esta conclusão foi confirmada com base nos registos da equipa de cientistas da missão Galileo (da NASA), entre 1989 e 2003, que fizeram os primeiros estudos sobre o planeta Júpiter e as suas quatro luas.

No site oficial da agência espacial norte-americana, Mike Brown referiu que este processo pode “significar que a energia consegue entrar no oceano”, fator que é “importante em termos de possibilidades de existência de vida na lua de Júpiter”.
 
A investigação dos dois cientistas sugere que é possível perceber o que compõem aquele oceano e estudar as suas propriedades “indo simplesmente à sua superfície e extraindo alguma da matéria”.

Oceano cobre toda a lua

Investigações anteriores indicam que a superfície de Europa encontra-se totalmente coberta por um oceano com uma expessura de 100 quilómetros e que, por sua vez, estará coberto por uma fina camada de gelo.

 
Segundo Kevin Hand, “a Europa é agora considerada um dos alvos principais na busca da existência de vida para além da Terra”. A NASA está, neste momento, a estudar várias hipóteses para investigar o satélite e recolher amostras do oceano.
 
“Se aprendemos algo com a vida na Terra é que onde existe água líquida, existe normalmente vida”, salientou Kevin Hand. O cientista comparou as condições da lua de Júpiter com o mar do nosso planeta e realçou que “possivelmente também os oceanos salgados de Europa podem ser um maravilhoso sítio para gerar vida”.

Clique AQUI para aceder ao comunicado da NASA sobre a possibilidade da existência de vida na lua Europa.

[Notícia corrigida a 13/03/2013 para alterar o primeiro parágrafo]

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close