Ciência

Molécula "da vida" encontrada nas estrelas

A molécula PO, considerada essencial para a formação do ADN, ainda não tinha sido detetada no lugares onde se formam as estrelas. Foi encontrada pela primeira vez a 24 mil anos-luz da Terra por uma equipa de investigadores internacionais.
Versão para impressão
A molécula PO, considerada essencial para a formação do ADN, ainda não tinha sido detetada nos lugares onde se formam as estrelas. Agora, a PO foi encontrada pela primeira vez a 24 mil anos-luz da Terra por uma equipa de investigadores internacionais.

A descoberta só foi possível graças à nova geração de telescópios, que permitiu aos astrónomos identificar a presença de PO em duas regiões da galáxia W51 e1/e2 y W3 (OH). A molécula pré-biótica, resultante da combinação química do fósforo (P) com o oxigénio (O), é fundamental na formação do esqueleto do ADN. 

Os resultados surpreenderam os astrónomos: a abundância de fósforo naquelas regiões é mais de 10 vezes superior ao que se pensava até à data, segundo as conclusões publicadas no "Astrophysical Journal".

O trabalho resultou da cooperação entre investigadores do Centro de Astrobiologia de Espanha (CAB, CSIC-INTA), do Instituto Max Planck de Física Extraterrestre da Alemanha e do Observatório Astrofísico di Arcetri (INAF-OAA), em Itália.

"Este estudo evidencia que o fósforo é um ingrediente relativamente abundante para cozinhar estrelas e sistemas planetários, e possivelmente também para a vida", explica Francesco Fontani (INAF-OAA), astrofísico italiano.

Jesús Martín-Pintado, astrofísico no CAB CSIC-INTA, completa: "até agora, só moléculas com hidrogénio, carbono, oxigénio e nitrogénio tinham sido estudadas em detalhe nas regiões onde nascem as estrelas. Depois desta descoberta podemos começar a estudar a química do fósforo no meio interestelar, que nos dará pistas fundamentais para entender como se pôde desenvolver a complexidade química no espaço até à formação de moléculas diretamente relacionadas com a vida".

"Estávamos muito interessados em encontrar PO no berço das estrelas, porque isso significaria que um dos componentes básicos do ADN está já disponível no gás a partir do qual se formam os planetas nos quais esperamos que possa haver vida", diz Victor M. Rivilla, astrofísico espanhol, em comunicado.

"Há alguns anos descobrimos a presença do açúcar mais simples, o gliceraldeído, numa região onde se formam estrelas. Os açúcares e os compostos do fósforo formam o esqueleto sobre o qual as nucleobases do ADN se baseiam. Assim, passo a passo, estas investigações estão a ajudar-nos a perceber como poderia a vida ter-se originado no espaço", conclui Maite Beltrán, do Osservatório Astrofísico di Arcetri.

Notícia sugerida por André Luís

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close