Mundo

Modelo em cadeira de rodas ‘desfila’ em Nova Iorque

Pela primeira vez na história, uma modelo em cadeira de rodas 'desfilou' na passarela da prestigiada New York Fashion Week, a semana de moda de Nova Iorque, nos EUA, e um dos mais importantes eventos da área a nível internacional.
Versão para impressão
Pela primeira vez na história, uma modelo em cadeira de rodas 'desfilou' na passarela da prestigiada New York Fashion Week, a semana de moda de Nova Iorque, nos EUA, e um dos mais importantes eventos da área a nível internacional. 
 
Danielle Sheypuk, que em 2012 recebeu o título de “Miss Cadeira de Rodas” de Nova Iorque, foi convidada pela estilista Carrie Hammer para participar no seu desfile no primeiro dia da semana de moda nova-iorquina, que arrancou na passada quarta-feira, transformando-a na primeira modelo em cadeira de rodas a 'desfilar' no evento. 
 
Em entrevista ao portal noticioso feminino Womens' eNews, que destacou a história, Carrie Hammer explicou que o objetivo da presença de Sheypuk foi conseguir um desfile “com exemplos de vida e não top models”. 
 
“É muito importante para mim que as mulheres tenham uma imagem positiva do seu corpo e se sintam poderosas na vida e no trabalho. A minha linha faz vestidos para servir às mulheres, não vestidos em que as mulheres tenham de se encaixar”, afirmou. 

Um exemplo para mulheres na mesma situação
 

Danielle Sheypuk depende da cadeira de rodas para se deslocar desde os dois anos de idade. É psicóloga clínica, mas sempre sentiu grande interesse em relação ao design de moda, dando de caras com uma dura realidade: a falta de modelos que fossem inspirações autênticas.
 
“As pessoas com deficiência são um mercado pouco explorado em termos de moda. Lemos revistas, fazemos compras, mas nada é nunca dirigido a nós”, realçou a modelo. “Estas pessoas precisam de ver este tipo de coisa. Aumenta-lhes a autoestima. Fá-las pensar: 'se ela o está a fazer, eu também consigo fazê-lo. O que importa a minha cadeira de rodas?'”, acrescentou. 
 
De acordo com a estilista que promoveu o desfile, a reação do público foi muito positiva. Já Sheypuk admitiu que foi uma honra estar na passarela e disse ter-se sentido natural e confiante. “Fui apenas outra modelo num desfile e isso era exatamente o que eu desejava”, concluiu. 
 
Esta não foi a primeira nem será a última vez que a psicóloga clínica faz trabalhos de modelo e participa em iniciativas destinadas a aumentar a confiança de outras pessoas na mesma situação. 
 
Atualmente, Danielle Sheypuk está também envolvida no 'Raw Beauty Project', projeto que conta com a colaboração de fotógrafos de alto prestígio convidados a fotografar mulheres com deficiência em poses sensuais e cujos resultados, que podem ser vistos online, serão exibidos numa galeria de Manhattan na Primavera. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close