Negócios e Empreendorismo

Mobiliário: Exportações devem passar os mil milhões

As exportações portuguesas de mobiliário e colchoaria aumentaram 6,2% até Setembro em comparação com o mesmo período do ano passado. As vendas para o exterior deverão ultrapassar os mil milhões de euros de 2011.
Versão para impressão
As exportações portuguesas de mobiliário e colchoaria aumentaram 6,2% até Setembro em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com o Cluster das Empresas de Mobiliário, as vendas para o exterior deverão, até ao final de 2012, ultrapassar os mil milhões de euros de 2011.
 
Em comunicado enviado à agência Lusa, a entidade afirma que, “caso se mantenha a tendência neste último trimestre, prevê-se que o valor total de mil milhões de euros conseguido em 2011 seja ultrapassado novamente, reforçando um setor que, este ano, representará cerca de 2,8% das exportações totais nacionais”.
 
Segundo os dados divulgados, a lista dos 10 principais clientes de mobiliário português em 2011 é dominada por mercados europeus. No total, o mercado intracomunitário absorveu perto de 80% das exportações nacionais, com destaque para Espanha e França, responsáveis por cerca de 63%.
 
Nesta lista há apenas dois mercados extracomunitários: Angola (com 100 milhões de euros, 9,8% do total) e os EUA (11 milhões de euros, com uma variação positiva de 18% nos últimos cinco anos).

“Notável esforço” das empresas portuguesas
 
De acordo com Emídio Brandão, presidente do Cluster do Mobiliário, esta “forte concentração das exportações num mercado intracomunitário em crise, especialmente nestes dois países, expostos à recessão económica da zona euro”, comporta vários “perigos”.
 
No entanto, o responsável defende que é “de louvar o notável esforço” das empresas portuguesas, que “conseguem exportar mais e ter uma taxa de cobertura da balança comercial de 185% nos primeiros três trimestres do ano num contexto de crise grave” e de “contração generalizada do consumo interno”. Em sentido inverso, até Setembro, as importações registaram uma queda de 11,2%.
 
Entre os novos mercados de exportação, o “cluster” destaca a “aposta recente” em países como a China, os EUA e a Austrália, além do Brasil e dos países da lusofonia. 
 
Para “mitigar os efeitos” do abrandamento da economia europeia, o Cluster do Mobiliário tem vindo a focar a sua estratégia “no encontro do mobiliário e de vários sectores estratégicos da economia nacional – como a moda, o têxtil, a gastronomia e os vinhos – através do projeto 'Portugal Home Style', um 'roadshow' de uma casa de Portugal” que irá percorrer no próximo ano cidades como Xangai, São Paulo e Nova Iorque.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close