Ambiente

Milhares de peixes lançados aos rios contra extinção

A Quercus vai proceder, durante as próximas semanas, à libertação nos rios portugueses de vários milhares de peixes reproduzidos em cativeiro, uma ação que tem por objetivo evitar a extinção de espécies em risco.
Versão para impressão
A Quercus, em parceria com o Aquário Vasco da Gama e o Centro de Biociências do ISPA, vai proceder, durante as próximas semanas, à libertação nos rios portugueses de vários milhares de peixes reproduzidos em cativeiro, uma ação que tem por objetivo evitar a extinção de espécies em risco.
 
De acordo com um comunicado da associação ambiental, os peixes vão ser libertados em diversos cursos de água do Oeste, nomeadamente em Torres Vedras, e também no sul do país, mais precisamente nas localidades de Odemira e Silves. 
 
A libertação vai decorrer no âmbito de um projeto em curso desde 2008 que pretende assegurar a reprodução e manutenção das populações ex-situ (ou seja, fora do lugar de origem) de algumas das espécies de peixes de água doce mais ameaçadas no nosso país, casos do ruivaco-do-Oeste, da boga-portuguesa, do escalo-do-Mira, do escalo-do-Arade e da boga-do-Sudoeste. 
 
Em declarações à Lusa, Paulo Lucas, da Quercus, explicou que as espécies escolhidas “estão criticamente em perigo de extinção”, devido não só à poluição existente nos rios, como também à seca associada às alterações climáticas. 
 
Segundo aquela entidade, os repovoamentos vão ocorrer em troços dos rios de origem dos indivíduos inicialmente capturados para reprodutores que apresentem caraterísticas favoráveis à sobrevivência e posterior reprodução da espécie.
 
O projeto prevê ainda que, nos casos em que tal seja possível, estes troços sejam alvo de ações de recuperação de linhas de água, em particular de limpeza e consolidação das margens dos rios, para que haja melhor circulação e oxigenação da água e, consequentemente, melhores condições para a vida dos animais.
 
Este trabalho de reprodução em cativeiro, que está a ser desenvolvido nas instalações do Instituto de Conservação da Natureza em Campelo, concelho de Figueiró dos Vinhos, geridas pela Quercus, e no Aquário Vasco da Gama, em Algés, tem ainda como parceiros a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Tecnica de Lisboa e a Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos, tendo como mecenas a EDP e a UNICRE. 
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close