Cultura

Mia Couto recebe Prémio Eduardo Lourenço

NULL
Versão para impressão
O escritor Mia Couto foi distinguido com o Prémio Eduardo Lourenço, atribuído pelo Centro de Estudos Ibéricos. O galardão é dado todos os anos a personalidades ou instituições cuja intervenção no âmbito da cooperação e da cultura ibérica seja relevante.

Esta foi a primeira vez que o prémio saiu da Ibéria “indo até ao Índico”, já que o escritor é moçambicano. Quem o disse foi João  Gabriel Silva, reitor da Universidade de Coimbra, membro do júri que elegeu Mia Couto.

O escritor e também biólogo moçambicano foi distinguido graças à sua obra que o torna numa “referência cultural do espaço lusófono, num interlocutor privilegiado e potenciador do diálogo plural e aberto que importa aprofundar com o mundo ibero-americano”, refere o comunicado do CEI.

As obras de Mia Couto encontram-se publicadas em cerca de 22 países, dos quais oito são países de língua portuguesa e latino-americanos (Portugal, Brasil. Angola, Moçambique, Espanha, Argentina, Chile e México).

Desta forma, Mia Couto torna-se o “principal mensageiro africano da lusofonia nos espaços de expressão ibérica, funcionando a sua obra literária como importante estímulo ao diálogo, uma ponte aberta à cooperação cultural entre África, Europa e América Latina”, continua o comunicado.

O Prémio Eduardo Lourenço é uma homenagem ao mentor e diretor honorífico do CEI, o ensaísta Eduardo Lourenço. Atribuído há cinco anos, já nomeou a Pianista Maria João Pires, o Poeta espanhol Ángel Campos Pám e Maria Helena da Rocha Pereira, Catedrática jubilada da Universidade de Coimbra na área da Cultura Greco-Latina, entre outros.

O Prémio será formalmente entregue a Mia Couto no dia 26 de novembro, na Guarda, por ocasião das comemorações do 11º aniversário do CEI, informa a Lusa.

Mia Couto é especialmente conhecido pelos seus contos, mas é também autor de romances, crónicas e algumas obras poéticas.

Além do reitor da Universidade de Coimbra, o júri que hoje decidiu a atribuição do Prémio Eduardo Lourenço 2011 era formado pela vice-reitora da Universidade de Salamanca (Espanha), Noémi Dominguez, pelo presidente da Câmara da Guarda, Joaquim Valente, por José Joaquim Gomes Canotilho e Maria de Sousa (Universidade de Coimbra), Antonio Colinas e Juan Carlos Mestre (Universidade de Salamanca), entre outros.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close