Espetáculos e Exposições

“Menina Limpa, Menina Suja” de Ana Vidigal

Na primeira exposição antológica de Ana Vidigal estão reunidas 120 obras criadas nos últimos trinta anos, ao longo dos quais a artista explorou, por vezes de forma irónica, "o que se esconde e o que que se mostra". A mostra está patente no Centro de
Versão para impressão
Na primeira exposição antológica de Ana Vidigal estão reunidas 120 obras criadas nos últimos trinta anos, ao longo dos quais a artista explorou, por vezes de forma irónica, “o que se esconde e o que que se mostra”. A mostra está patente no Centro de Arte Moderna da Gulbenkian até 26 de Setembro de 2010.

“Menina Limpa, Menina Suja” é o título de uma série de trabalhos de Ana Vidigal (n.1960, Lisboa) que também dá título a esta exposição comissariada pela directora do CAM, Isabel Carlos.

Mostrando trabalhos produzidos durante a sua carreira de trinta anos, os visitantes vão ser confrontados não apenas com a pintura bem conhecida da autora mas também pelo seu trabalho em outros suportes.

O início da exposição mostra um vídeo da artista, “Domingo à Tarde”, que segundo a comissária funciona como peça-chave para toda a obra de Vidigal.

“É bem verdade que todos nós temos duas facetas: a que mostramos e a que escondemos. É, ao fim e ao cabo, uma dualidade, e esse jogo interessou-me”, salientou a artista à agência Lusa

Ana Vidigal, nascida em Lisboa há 50 anos, estudou pintura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, e foi depois bolseira da Gulbenkian. A artista já apresentou obras em muitas exposições, estando actualmente representada em colecções privadas e públicas como a Culturgest, a Fundação de Serralves, o Museu de Arte Contemporânea do Funchal, a Colecção Berardo e a Colecção Deutsche Bank.

Em “Menina Limpa, Menina Suja” estão obras dos primeiros anos de produção da artista como “Sei muito bem para onde vou” (1981) e uma série de cadernos pessoais, até a obras mais recentes, de 2009, como “Enxota-a (O prazer não é difícil de aguentar)”.

Especialmente para a exposição, Ana Vidigal criou já este ano um painel de grandes dimensões intitulado “Bravura (Não vaciles, Põe-te a andar)” [ver foto], com elementos de banda desenhada, e que ilustra o catálogo lançado pelo CAM sobre a exposição.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close