Ciência

Menina inglesa descobre fóssil de novo dinossauro

Daisy Morris tem apenas nove anos de idade, mas vai ficar na história da paleontologia depois de ter encontrado o fóssil de uma espécie desconhecida de dinossauro. O animal foi agora 'batizado' com um nome em homenagem à menina.
Versão para impressão
Tem apenas nove anos de idade, mas vai ficar na história da paleontologia depois de ter encontrado o fóssil de uma espécie desconhecida de dinossauro. Daisy Morris, uma menina inglesa natural da Ilha de Wight, descobriu os restos do animal em 2009 e foi agora homenageada pelos cientistas, que, depois de concluírem que se trata, de facto, de uma nova espécie, decidiram batizá-la com o seu nome.
 
De acordo com a BBC, a pequena Daisy 'tropeçou' no fóssil do Vectidraco daisymorrisae, designação que agora lhe foi atribuída, há quatro anos atrás – ou seja, quando tinha apenas quatro anos de idade.
 
Em declarações à cadeia noticiosa britânica, a mãe de Daisy, Sian Morris, revelou que a criança tem “bom olho para pequenos fósseis” e, que quando encontrou os ossos negros, decidiu escavar um pouco mais na lama e na areia para perceber do que se tratava.
 
Embora a menina tenha começado a procurar fósseis muito cedo, a descoberta chamou-lhes a atenção de forma particular, pelo que a progenitora decidiu contactar o especialista em fósseis da Universidade de Southampton, Martin Simpson, com o objetivo de lhe dar conta do que Daisy encontrara.
 
“Assim que vi [o fóssil] soube que estava a olhar para algo muito especial. E estava certo”, contou à BBC o cientista, que acredita que, se a criança não o tivesse descoberto, este teria sido levado pela corrente marítima e destruído, eliminando as evidências naquele local da existência do animal pré-histórico.

Dinossauro era um pequeno réptil voador
 

Segundo um artigo científico publicado o mês passado, o Vectidraco (em português, “dragão da Ilha de Wight”) corresponde a um novo género de um pequeno pterossauro, um réptil voador do período do Baixo Cretáceo.
Na opinião de Simpson, o achado da menina inglesa é um bom exemplo de que “grandes descobertas podem ser feitas por amadores”.
 
De realçar que o anúncio da confirmação do Vectidraco daisymorrisae como uma nova espécie foi efetuado apenas uma semana depois de ter vindo a público a descoberta, também na Ilha de Wight, de um esqueleto praticamente completo de um dinossauro com cerca de três metros e meio de comprimento.
 
Recentemente, o Natural History Museum, museu de história natural de Londres, ao qual foi doado o fóssil encontrado por Daisy, nomeou, em consequência destas notícias, aquela ilha como “capital dos dinossauros da Grã-Bretanha”. 

Clique AQUI para aceder ao artigo científico que reconhece o Vectidraco como uma nova espécie de dinossauro, publicado na revista PLOS One (em inglês).

[Notícia sugerida por Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close