Cultura

Melhor aluno de Latim do mundo é português

António Gil Cucu é, este ano, o melhor estudante de Latim do mundo. O jovem português venceu o concurso internacional da língua, "Certamen Horatianum", que decorreu em Venosa, Itália.
Versão para impressão
António Gil Cucu é, este ano, o melhor estudante de Latim do mundo. O jovem português venceu o concurso internacional da língua, “Certamen Horatianum”, que decorreu em Venosa, Itália.

O estudante do 11º ano da Escola Secundária Rodrigues de Freitas posicionou-se à frente dos seus concorrentes na prova do concurso destinada a estudantes estrangeiros, revelou Alexandra Azevedo, docente da escola do Porto.

De acordo com a professora de Latim, que deu aulas ao estudante no 10.º ano, concorreram jovens de cerca de dez países. A competição comporta ainda uma prova só para estudantes italianos.

Pela primeira vez um aluno de Portugal venceu o Certamen Horatianum, um título que “é muito valorizado nos outros países” que fazem concursos nacionais para escolher os melhores alunos.

Em Portugal, explicou a professora, costumam ser escolhidos para a competição os estudantes com notas superiores a 16.

António Gil Cucu vai no segundo ano de aprendizagem de Latim, com o docente Jorge Moranguinho, e superou concorrentes que “estudaram, pelo menos, quatro anos” desta língua morta.

“Para o António é o reconhecimento do seu trabalho e de que as Humanidades ainda têm alguma importância. Para nós, professores, é um orgulho imenso”, confessou Alexandra Azevedo.

Segundo a professora, o jovem “é um aluno muito bom” e pretende ingressar em Estudos Clássicos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Na perspetiva da docente, o latim ajuda imenso os alunos “ao nível do desempenho da língua materna” e também ao nível cultural. “Nos últimos anos temos estado a assistir à abolição do latim nas escolas, progressivamente”, lamentou.

Os prémios do Certamen Horatianum foram atribuídos na semana passada em Venosa, cidade onde nasceu o poeta Horácio.

De acordo com Cláudia Cravo, professora da Universidade de Coimbra, o prémio costuma ser ganho por alemães e austríacos, que aprendem esta língua desde muito pequenos.

[Notícia sugerida por Isabel Simões e Elsa Martins]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close