Ciência

Mars500 isola astronautas durante 520 dias

Quatro europeus vão a passar 520 dias isolados numa cápsula para simular uma missão a Marte, anunciou a Agência Espacial Europeia. Dois deles vão integrar a verdadeira missão interplanetária, ao lado de três astronautas russos e um chinês.
Versão para impressão
Quatro europeus vão a passar 520 dias isolados numa
cápsula para simular uma missão a Marte, anunciou a Agência Espacial
Europeia. Dois deles vão integrar a verdadeira missão interplanetária,
ao lado de três astronautas russos e um chinês.
 
A Mars500 demora exatamente os mesmos dias que uma viagem a Marte e pretende testar a capacidade de resistência dos candidatos. A simulação da viagem inclui uma nave interplanetária, uma base de aterragem e paisagem marciana.
 
O objectivo é simular a viagem integral da forma mais real possível. A missão Mars500 vai arrancar numas instalações especiais em Moscovo, ainda este verão. A duração conta com os 250 dias da viagem, 30 de pesquisas na superfície marciana e 240 para o regresso, num total de 520 dias.

Os belgas Jerome Clevers e Arc`hanmael Gaillard, o francês Romain Charles e o colombo-italiano Diego Urbina são os europeus escolhidos para esta simulação. Durante a experiência, os quatro astronautas vão estar hermeticamente fechados num espaço com produtos consumíveis limitados. A tripulação só poderá comunicar através da Internet, que terá um delay de 20 minutos e sofrerá vários cortes para simular as condições reais de uma missão a Marte.

“Marte é o objetivo mais ambicioso do programa de exploração humana” da ESA, afirmou Simonetta Di Pippo, directora do programa Human Spaceflight, esta quarta-feira, em conferência de imprensa.

A ESA faz questão de “garantir que os astronautas estão o mais preparados possíveis para as exigências físicas e mentais das missões de longa duração e para lidar com os efeitos adversos destas missões”, acrescentou Di Pippo, salientando que a Mars500 representa uma grande evolução na preparação dos astronautas.

Di Pippo salientou ainda o valor da cooperação entre a ESA e Rússia. A Mars500 está a ser liderada pelo Instituto Russo para os Problemas Biomédicos, com participação da ESA, no âmbito do Programa Europeu para a Vida e Ciências Físicas de forma a preparar futuras missões tripuladas à Lua e a Marte.

Este teste é a última e a fase central da experiência Mars500, que começou em 2007. A primeira fase, em novembro daquele ano, incluiu uma simulação de 14 dias e testou sobretudo as instalações e os procedimentos operacionais.
 
A segunda fase ocorreu no ano passado, quando uma tripulação de quatro russos e dois europeus ficou fechada nas instalações durante 105 dias, a 31 de março.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close