Cultura

Maria de Medeiros falou com leitores do El Mundo

Maria de Medeiros foi a convidada do espaço "Encuentros" do jornal espanhol El Mundo, esta terça-feira, e respondeu a várias perguntas dos leitores.
Versão para impressão
Maria de Medeiros foi a convidada do espaço “Encuentros” do jornal espanhol El Mundo, esta terça-feira, respondendo a várias perguntas de leitores do país vizinho agora que se prepara para lançar o seu terceiro disco, Pájaros Eternos. 
 
A propósito da edição do novo trabalho, que deverá chegar em finais de Fevereiro e inclui, pela primeira vez, composições da sua própria autoria, a atriz, cantora e cineasta portuguesa satisfez a curiosidade de muitos espanhóis e até de emigrantes portugueses, que não lhe pouparam questões.
 
Maria de Medeiros levantou o véu sobre o novo álbum, deixando saber que o seu primeiro single será “Nace el día”, composto por Raimundo Amador, e que o CD terá músicas em castelhano, português, inglês e italiano.
 
A artista portuguesa explicou ainda a escolha do título Pájaros Eternos (Pássaros Eternos). “Escolhi-o porque me pareceu que não existia nada mais contraditório à ideia de eternidade do que um passarinho, pela sua vulnerabilidade e fragilidade”, disse Maria de Medeiros. 
 
“Porém, acabei por me aperceber de que há pássaros eternos, como a Pomba da Paz ou as águias totalitárias. Um pássaro eterno também pode transmitir o idealismo, como o sonho de querer fazer música na época atual”, acrescentou.
 
Entre muitos elogios, Maria de Medeiros teve ainda tempo para falar de política e das relações entre Portugal e Espanha. A propósito do filme “Capitães de Abril”, a portuguesa admitiu que considera “muito injusto que sejam os trabalhadores a pagar pela irresponsabilidade das escolhas financeiras e da política”, pelo que “é muito importante que as pessoas se indignem por todo o mundo”.
 
Quando lhe perguntaram qual a explicação para o facto de os espanhóis saberem tão pouco sobre a cultura portuguesa embora todos sejam vizinhos ibéricos, Maria de Medeiros fez questão de realçar que esta é “uma discussão frequente” com os amigos espanhóis mas que acredita e sente que os artistas portugueses são sempre “extremamente bem recebidos em Espanha”. 
 
Em jeito de conclusão, Maria de Medeiros falou também um pouco sobre os projetos atuais, em particular a longa-metragem documental sobre a Comissão de Amnistia e Reparação no Brasil, na qual está a trabalhar e que, segundo a própria, está a “apaixoná-la”. 

Clique AQUI para ler todas as perguntas e respostas (em espanhol).

[Notícia sugerida por Anabela Figueiredo]

 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close