Ambiente

Máquina doméstica transforma plástico em petróleo

Uma vez que o plástico é produzido a partir do petróleo, um inventor japonês apostou na criação de uma máquina portátil que devolve este material à sua forma original.
Versão para impressão
Uma vez que o plástico é produzido a partir do petróleo, um inventor japonês apostou na criação de uma máquina portátil que devolve este material à sua forma original. Com a Blest Machine é possível transformar um quilo de plástico num litro de petróleo.
 
O plástico é um dos materiais mais úteis e flexíveis da sociedade moderna mas representa também um grave problema de poluição devido ao complicado processo de reciclagem que exige e às pesadas emissões de CO2 que produz quando, em vez de reciclado, é queimado. 
 
Já há determinadas indústrias que convertem plástico em petróleo. Mas o japonês Akinori Ito quis tornar este processo acessível a toda a gente. Para isso criou, uma máquina simples e portátil que pode ser usada por qualquer pessoa de forma segura. 
 
Akinori Ito começou a desenvolver a Blest Machine quando percebeu que o plástico estava a tomar conta do mundo moderno. A máquina torna muito simples o processo de transformação deste 'lixo' – que Akinori diz ser um verdadeiro 'tesouro' – em petróleo.
 
A Blest Machine, disponível em vários tamanhos e modelos, tem um tambor onde se coloca o plástico que é aquecido até derreter. Neste processo, o plástico transforma-se num líquido e depois num gás que é encaminhado para uns tubos ligados a filtros de água.

Ao passar pelos filtros, o gás arrefece e transforma-se em petróleo que pode ser usado diretamente para combustão, por exemplo, em incineradoras ou ser refinado para dar origem a gasolina, gasóleo ou querosene. 

 
Embora funcione com quase todo o tipo de plástico, a máquina não funciona com plástico PET (aquele usado nas garrafas de água) nem com PVC uma vez que a conversão destes plásticos exige temperaturas superiores a 600º celsius e a temperatura da Blest Machine ronda os 450ºC.

Plástico não é lixo
 
Segundo explica o site da empresa, fundada em 2010, a partir de um quilo de plástico é possível obter cerca de um litro de petróleo.  “Se queimarmos um quilo de plástico, emitimos cerca de três quilos de Co2 para a atmosfera com esta máquina de eletricidade e calor podemos inverter o processo e reduzir em cerca de 80% as emissões de Co2”, esclarece o inventor numa reportagem vídeo da United Nations University. 
 
Uma vez que é portátil a máquina pode ser facilmente transportada. Akinori tem levado, por exemplo, o seu equipamento a alguns países do continente africano, onde o plástico representa um sério problema de poluição.

“As pessoas começam a perceber que isto na realidade não é lixo, os sacos de plástico, as tampinhas, a embalagem da comida, tudo isso é petróleo”, explica o inventor na mesma reportagem. 

 
“O petróleo que consumimos no Japão viaja longas distâncias, vem do Iraque ou da Arábia Saudita, a pegada ecológica é muito elevada. Se convertêssemos o nosso plástico em petróleo as nossas emissões de CO2 seriam muito inferiores”, garante Akinori. 

Clique AQUI para visitar o site oficial da Blest.

Notícia sugerida por Madalena Ferreira

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close