Cultura

Manoel de Oliveira comemora 104 anos ainda no ativo

Manoel de Oliveira comemora, esta terça-feira, 104 anos de vida. Com mais um aniversário assinalado, o realizador português torna-se, assim, o mais velho do mundo ainda em atividade.
Versão para impressão
Manoel de Oliveira comemora, esta terça-feira, 104 anos de vida. Com mais um aniversário assinalado, o realizador português torna-se, assim, o mais velho do mundo ainda em atividade. Este ano, o cineasta lançou “O Gebo e a Sombra”, realizou uma curta-metragem a convite de Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura e já tem novos projetos na manga.
 
De acordo com informações avançadas à agência Lusa por fonte da família do realizador, que revelou que este aniversário deverá ser comemorado em casa, já que Manoel de Oliveira está ainda a recuperar de uma insuficiência cardíaca, que o manteve internado durante uma semana em Julho, já há, no entanto, mais ideias na calha.
 
“Tem sempre muitos projetos. Neste momento tem para dois filmes: um chama-se 'O Velho do Restelo' e o outro 'A Igreja do Diabo', a partir dos contos de Machado de Assis”, adiantou a mesma fonte.
 
Segundo o produtor Luís Urbano, estes dois projetos estão em fase de captação de financiamento. Ambos têm argumento de Manoel de Oliveira, sendo que “O Velho do Restelo” é inspirado em textos de Camões, Teixeira de Pascoaes e Cervantes. 
 
Em 2012, e comprovando que a paixão pelo cinema deverá ser um dos grandes segredos da longevidade, Manoel de Oliveira lançou o filme “O Gebo e a Sombra” – exibido em antestreia em Veneza e na Assembleia da República – e a curta-metragem “O conquistador conquistado” rodada em maio em Guimarães a convite da Capital Europeia da Cultura 2012.
 
Também este ano o realizador foi agraciado, na Gala da Ciência, com o prémio “Open Mind”, da Associação de Laserterapia e Tecnologias Afins (ALTEC), que o distinguiu “pela abertura mental que sempre demonstrou e pelo seu interesse no progresso e na tecnologia”. Em Maio, o galardão foi-lhe entregue pela atriz Fernanda Matos, que encarnou “Teresinha” em “Aniki Bobó”.
 
Manoel de Oliveira nasceu no Porto em 1908. A sua carreira começou no cinema mudo e prolonga-se até hoje, estendendo-se por curtas, médias e longas-metragens e até por algumas participações como ator. Da sua obra fazem parte filmes icónicos como “Aniki Bobó”, de 1942, ou os mais recentes “Singularidades de Uma Rapariga Loura” e “O Estranho Caso de Angélica”.

[Notícia sugerida por Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close