Saúde

Malária: Primeira vacina poderá chegar em 2015

NULL
Versão para impressão
Um estudo sobre uma vacina experimental contra a malária revela que, com esta imunização, o risco de infeção em bebés com idades compreendidas entre os cinco e os 17 meses se reduz até metade.

A vacina está a ser desenvolvida pela empresa farmacêutica GlaxoSmithKline e chama-se RTS,S. Os resultados foram anunciados esta terça-feira e publicados na revista The New England Journal of Medicine.

No início do desenvolvimento da RTS,S, na década de 80, os especialistas mostravam-se renitentes em relação à possibilidade de criar uma vacina contra a malária. Porém, os últimos 25 anos têm permitido confirmar que este fármaco protege crianças e adultos e que pode passar a fazer parte do calendário internacional de vacinação.

Neste momento está a decorrer a terceira fase de ensaios clínicos da vacina, que irão prosseguir por mais três anos, divididos por duas faixas etárias: recém-nascidos com seis a 12 semanas e bebés com cinco a 17 meses.  

Primeira vacina contra a malária pode estar próxima

A informação publicada diz apenas respeito a um ano de testes em 6.000 crianças do segundo grupo. De acordo com Andrew Witty, diretor executivo da GlaxoSmithKline, “estes resultados aproximam-nos da obtenção da primeira vacina da malária, que tem o potencial de melhorar o horizonte de vida das crianças nas regiões endémicas da malária, em África”.

O diário espanhol “El Mundo” refere que os novos dados apontam para uma eficácia da vacina de 56% na redução de casos de malária clínica e de 47% de proteção face à malária severa.

Entretanto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já afirmou que poderia recomendar a aprovação da vacina para distribuição em África, em 2015, se os resultados corresponderem às expectativas dos investigadores.

Para 2013 são esperadas novas conclusões provisórias e em 2014 deverão chegar os dados definitivos. Caso se confirme a eficácia e segurança do fármaco, a primeira vacina contra a malária poderá ser uma realidade em 2015.

Informações reveladas pela OMS mostram que a malária provoca 800 mil mortes todos os anos, registando-se anualmente cerca de 225 milhões de novos casos. A maior parte das vítimas são crianças com menos de cinco anos de idade, na África subsariana.

Nas regiões onde têm sido adotadas medidas para controlo e prevenção da doença, o número de casos tem vindo a reduzir-se progressivamente.

[Notícia sugerida por Ana Isa Fernandes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close