Ambiente

Mais de 65% da energia da Graciosa será renovável

A ilha Graciosa, no arquipélago dos Açores, possui o primeiro sistema mundial de energia híbrida, que vai fazer com que a ilha se torne praticamente independente de fontes de energia não renováveis, eliminando o recurso a combustíveis fósseis.
Versão para impressão
A ilha Graciosa, no arquipélago dos Açores, vai ter o primeiro sistema mundial de energia híbrida, que vai fazer com que a ilha se torne praticamente independente de fontes de energia não renováveis, eliminando o recurso a combustíveis fósseis. 
 
O sistema, que estará concluído ainda este ano, vai permitir que mais de 65% da energia da ilha seja proveniente de fontes renováveis, como o sol e o vento, explica um comunicado enviado ao Boas Notícias. O projeto resulta de um investimento de cerca de 24 milhões de euros, 15 milhões dos quais foram investidos pelo grupo português dst, sendo que o restante esteve a cargo dos alemães Younicos. 
 
A gestão desta energia será feita por um inovador sistema de software desenvolvido pela empresa alemã Younicos, que permite prescindir da central térmica convencional para a regulação da energia e que aposta num sofisticado sistema de baterias que permite o fornecimento ininterrupto de energia, independentemente da sua proveniência (a retenção e o fornecimento de energia é um dos maiores desafios das energias renováveis).
 
Este sistema permite a redução de gases responsáveis pelo efeito de estufa, resultantes da queima de combustíveis fósseis, com claras vantagens em termos ambientais e de segurança. Tem ainda um impacto positivo na fatura económica, uma vez que irá reduzir drasticamente a importação de combustíveis. 
 
O projeto, pioneiro na ilha Graciosa, assume-se como uma montra a nível mundial para o desenvolvimento de soluções capazes de proporcionarem qualidade de vida às comunidades, ao mesmo tempo que apostam no equilíbrio ambiental.
 
As empresas do grupo dst envolvidas nesta empreitada (a dst s.a., a dte e a dstrenováveis), tiveram a seu cargo o desenvolvimento e construção das infraestruturas projetadas ao nível da construção civil, em simultâneo com os trabalhos de instalação das redes elétricas e equipamentos a incorporar na central de baterias e na subestação do parque eólico. O projeto inclui ainda um parque fotovoltaico. 
 
José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do grupo dst, afirma que este projeto da ilha Graciosa “coloca a empresa na vanguarda das soluções ambientalmente sustentáveis em termos de produção de energia, através de um sistema completamente inovador a nível mundial e que nos exige todo o know-how e capital de inovação tecnológica que fomos acumulando”. 
 
Por sua vez, James McDougall, CEO da Younicos, considera que o grupo dst é o parceiro ideal para a implementação do primeiro sistema mundial de energia híbrida naquela ilha europeia. 
 
“Juntos, vamos transformar a Graciosa num projeto global de substituição do dispendioso combustível diesel por uma geração de energia renovável cada vez mais barata. Há um enorme potencial em Portugal, e não só, para este tipo de soluções de armazenamento altamente sofisticadas e modelos de negócio inovadores.” 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close