Ambiente

Maior central solar do mundo iluminará 72 mil casas

A partir de 2013, a maior central solar do mundo vai iluminar cerca de 72 mil residências no Arizona, EUA. A temperatura média de 25ºC e o "sol escaldante" do estado norte-americano tornaram-no o local ideal para a construção da estrutura.
Versão para impressão
A partir de 2013, a maior central solar do mundo vai iluminar cerca de 72 mil residências no Arizona, EUA. A temperatura média de 25ºC e o “sol escaldante” do estado norte-americano tornaram-no o local ideal para a construção da estrutura, que vai dar emprego permanente a 85 pessoas.
 
A central solar está a ser construída por 2.300 pessoas ao serviço da empresa espanhola Abengoa e a construção deste “templo solar” futurista, próximo da cidade de Gila Bend, a cerca de 100 quilómetros de Phoenix, deverá estar concluída no próximo ano.
 
A nova estrutura, batizada Solana, funciona como qualquer outra central termoelétrica do mundo, com a diferença de que é “projetada para o armazenamento térmico”, explica Emiliano García, diretor-geral do projeto, citado pela agência EFE. Portanto, a fábrica “é capaz de continuar a produzir eletricidade até seis horas depois do pôr do sol graças a um sistema idêntico ao dos termos “que mantêm o café quente”.
 
Todo o fluido quente que sobrar da produção da eletricidade ao longo do dia será transportado para tanques próprios para o efeito, onde será armazenado a 400ºC e voltará a transformar-se em “combustível solar” quando escurecer.
 
Segundo a Abengoa, quando entrar em pleno funcionamento, a central solar vai produzir 280 megawatts/hora, uma quantidade de energia que, na Europa (onde o consumo energético médio de um lar é quase metade do que se regista nos EUA) poderia abastecer cerca de 140 mil casas, mas que, mesmo nos EUA, vai permitir o abastecimento energético de 72 mil residências dentro do estado.
 
A empresa adianta ainda que a Solana vai evitar a emissão para a atmosfera de 475 mil toneladas de CO2 por ano e que os componentes essenciais da fábrica – vidro e aço – são recicláveis, o que a torna uma estrutura com grande caráter ecológico. 
 
De salientar que o projeto já foi mencionado por diversas vezes pelo presidente norte-americano Barack Obama, recentemente reeleito, como exemplo, naquele país, de transição para as energias limpas e de criação de empregos “verdes”. 
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close