Sociedade

Madeira: Governo dá apoio extra a jovens universitários

O Governo da Madeira vai atribuir um apoio financeiro excecional a cerca de 100 mil alunos que frequentam o Ensino Superior na região para impedir que os jovens abandonem o seu projeto de formação em consequência da crise.
Versão para impressão
O Governo da Madeira vai atribuir um apoio financeiro excecional a cerca de 100 mil alunos que frequentam o Ensino Superior na região para impedir que os jovens abandonem o seu projeto de formação em consequência do atual contexto de crise.
 
A medida foi apresentada esta segunda-feira em conferência de imprensa pelo secretário regional da educação madeirense, Jaime Freitas.

De acordo com o governante, os estudantes vão poder candidatar-se a um complemento de 42,4 euros mensais, que corresponde a 25% do total da bolsa de estudo (170 euros) atribuída aos alunos da Madeira que estudam em universidades fora do arquipélago.
 

“Este mecanismo vai ao encontro das necessidades das famílias e é colocado de forma operacionalizada no portal do Governo”, explicou Jaime Freitas, admitindo que a medida representa um “esforço orçamental” mas que se trata de um incentivo “justo e um investimento que, no futuro, de forma mais diluída, vai trazer retornos em termos sociais para a Madeira”. 
 
Em declarações aos jornalistas, o governante, citado pela Lusa, acrescentou que o executivo regional decidiu “tomar medidas para abranger mais famílias que possam beneficiar dos apoios do Governo e alargar o âmbito dos estudantes que beneficiam destas bolsas aos que frequentam o ensino superior em estabelecimentos da Madeira”. 
 
Segundo o responsável do Gabinete de Acesso ao Ensino Superior, João Costa e Silva, a partir desta segunda-feira, “estará no portal digital do Governo Regional uma aplicação” por meio da qual os alunos podem efetuar uma pré-inscrição que será depois analisada. Se preencherem as condições exigidas para o efeito, poderão fazer a respetiva candidatura.
 
Para satisfazer os requisitos, os alunos têm, cumulativamente, de comprar que frequentaram, na totalidade, o ensino secundário na região, que são bolseiros e que a capitação do agregado familiar não é superior a 350 euros. 
 
“O processo é rápido e, dentro de pouco tempo, terão a bolsa a cair nas contas bancárias”, afirmou Costa e Silva, acrescentando que o apoio vai beneficiar os alunos que frequentam as três instituições de ensino superior da Madeira, nomeadamente a Universidade da Madeira, a Escola Superior de Enfermagem São José de Cluny e o ISAL (Instituto Superior de Administração e Línguas).

Transferências entre Madeira e continente em análise
 

O secretário da educação madeirense, Jaime Freitas, adiantou ainda que estão a ser alvo de análise outras soluções para evitar que os alunos que estudam fora da região abandonem os cursos, estando a decorrer conversações com vista a permitir que as transferências de estudantes matriculados no continente para a Universidade da Madeira. 
 
Embora esta seja uma possibilidade já prevista, que, para Jaime Freitas, seria uma “forma de aliviar os encargos para as famílias”, é necessária uma “intervenção política que permita alargar as quotas da universidade” e que passará pela celebração de protocolos. 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close