Sociedade

Luxemburgo procura portugueses para lares da 3ª idade

O Governo luxemburguês está a negociar com o executivo de Portugal a contratação de técnicos de serviço social portugueses para trabalhar em lares de terceira idade.
Versão para impressão
O Governo luxemburguês está a negociar com o executivo de Portugal a contratação de técnicos de serviço social portugueses para trabalhar em lares de terceira idade, disse esta sexta-feira à Lusa o secretário de Estado das Comunidades.
 
“O Governo luxemburguês contactou-nos já há algum tempo para contratar umas dezenas de técnicos que trabalharão no Luxemburgo na área dos idosos, em lares da terceira idade”, disse à Lusa José Cesário, depois de um encontro com a ministra da Família e da Integração do Luxemburgo.
 
“É uma área em que nós fizemos muita formação, e eles sentem aqui necessidade de pessoas nas instituições locais que garantam a integração dos nossos reformados e dos nossos idosos”, explicou o secretário de Estado, que destacou também a experiência dos técnicos portugueses na integração das comunidades estrangeiras.

Dois países estão a trabalhar na homologação dos diplomas

Os profissionais portugueses poderão vir a ser contratados pelo Servior, um estabelecimento público que emprega 1.600 pessoas e tem capacidade para acolher outros tantos idosos, disse a ministra da Família e da Integração, Marie-José Jacobs.
 
“Estamos a trabalhar juntos na homologação dos diplomas, para verificar se a formação que é dada em Portugal corresponde às mesmas competências no Luxemburgo, mas são questões a resolver”, adiantou a ministra, que frisou que os técnicos deverão também “aprender francês e luxemburguês”.
 
O secretário de Estado das Comunidades disse que o pedido já foi “canalizado para o Instituto de Emprego” em Portugal e que falta agora “clarificar, do lado do Governo luxemburguês, quando é que pretende fazer essa contratação”.
 
José Cesário, que chegou ao Luxemburgo nesta sexta-feira e parte sábado para a Holanda, entregou também duas dezenas de livros de autores lusófonos às Associações de Pais e Alunos de Ettelbruck e de Diekirch, parte das 700 minibibliotecas que o Instituto Camões está a distribuir pelas comunidades portuguesas para incentivar a leitura.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close