Fitness & Bem-estar

Luso: Autarquia vai comparticipar utentes das termas

A Câmara Municipal da Mealhada vai comparticipar os tratamentos termais nas Termas do Luso de todos os utentes que tenham necessidade justificada através de prescrição médica e por um período mínimo interrupto de uma semana.
Versão para impressão
A Câmara Municipal da Mealhada vai comparticipar os tratamentos termais nas Termas do Luso de todos os utentes que tenham necessidade justificada através de prescrição médica e por um período mínimo interrupto de uma semana.

As Termas de Luso, assim como as restantes termas do país, têm sido forçadas a reinventar-se já que a crise económica e a perda do poder de compra afetaram fortemente o setor termal.

O cancelamento da comparticipação dos tratamentos termais pelo Serviço Nacional de Saúde, em 2011, afetou ainda mais a perda de poder de compra e de usufruto por parte da franja da população que mais recorre a este produto: população sénior e reformados.

Tendo em conta a necessidade de dinamização das Termas do Luso, a Câmara Municipal da Mealhada decidiu intervir. A autarquia “vai substituir o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e comparticipar os programas termais de todos os utentes que tenham prescrição e necessitem de uma semana ou mais de tratamentos”, disse esta segunda-feira o presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Rui Marqueiro, em conferência de imprensa.

“Os clientes das Termas de Luso são vitais para o desenvolvimento económico da vila. Eles são também os clientes dos hotéis, dos restaurantes, dos cafés, das lojas”, argumentou ainda o autarca, revelando que “a partir de hoje, existe esta comparticipação”.

Neste sentido, a Câmara Municipal irá comparticipar os tratamentos termais de todos os utentes que reúnam os seguintes requisitos: necessitem de tratamentos terapêuticos durante um período mínimo interrupto de uma semana e provem essa necessidade com prescrição médica.

A comparticipação rondará, em média, os 90 euros por pessoa, o que corresponde à consulta médica e à taxa de inscrição termal. Ficou ainda estipulado que o montante máximo a despender pela Câmara Municipal da Mealhada com esta medida será de 63 mil euros/ano.

A decisão foi tomada no dia 01 de Junho, na reunião do Executivo Municipal, onde a Câmara Municipal da Mealhada deliberou, por unanimidade, a aprovação das medidas de incentivo ao termalismo terapêutico e à revitalização da vila do Luso enquanto destino de referência no Termalismo e Turismo de Saúde e Bem-Estar.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close