Ambiente

Lontras-marinhas regressam ao Oceanário de Lisboa

As lontras-marinhas "Micas" e "Maré" encontram-se novamente junto da sua progenitora, "Amália", no Oceanário de Lisboa, após uma passagem por Roterdão no âmbito de um programa de conservação. Recorde-se que aqueles três animais são os únicos três exe
Versão para impressão
[Fotografia: Mafalda Frade]

As lontras-marinhas “Micas” e “Maré” encontram-se novamente junto da sua progenitora, “Amália”, no Oceanário de Lisboa, após uma passagem por Roterdão no âmbito de um programa de conservação. Recorde-se que aqueles três animais são os únicos três exemplares da espécie existentes na Europa.

O facto de o Oceanário de Lisboa ser, até à data, o único aquário europeu bem sucedido na reprodução de lontras-marinhas ditou a deslocação de “Micas” e “Maré” até à Holanda, como exemplos de animais geneticamente saudáveis concebidos por meio da reprodução em cativeiro.

“Maré” e “Micas” têm 12 e 9 anos, respetivamente. A primeira nasceu no dia 2 de maio de 1998 e um ano após o seu nascimento foi enviada para o Aquário do Jardim Zoológico de Antuérpia.

A 26 de julho de 2001, nasceu “Micas” que também um ano depois foi cedida ao Jardim Zoológico de Roterdão.

Em abril de 2005, a “Maré” foi enviada para o Jardim Zoológico de Roterdão, juntando-se a “Micas”, e aí permaneceram juntas até este mês.

[Notícia sugerida pelo utilizador Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close